Empresários do Alto Tâmega conheceram na quarta-feira passada, dia 20, os mais modernos sistemas de comunicações e tecnologias da informação da Indústria 4.0, no Forte de São Francisco Hotel, Chaves.Aproximar as últimas tecnologias da área da digitalização e da robótica inteligente às pequenas e médias empresas da região foi o objetivo da sessão promovida pelo Instituto Politécnico de Bragança (IPB) e pela Associação Empresarial do Alto Tâmega (ACISAT), no âmbito do projeto “Promoção da Indústria 4.0 na região de Trás-os-Montes e Alto Douro, I4.0@TMAD”.

A sessão foi dinamizada por Paulo Leitão, coordenador do Centro de Investigação em Digitalização e Robótica Inteligente do IPB, que explicou que a aplicação da Indústria 4.0 (I4.0) permite melhorar o sistema produtivo das empresas e torná-las mais competitivas no mercado criando novas oportunidades de negócio.
“A I4.0 nasceu na Alemanha, em 2013, e visa a digitalização das fábricas tradicionais criando assim as chamadas fábricas do futuro. Isto vai permitir tornar as empresas mais ágeis e mais competitivas no mercado”, disse o responsável.

A sessão de apresentação do projeto contou essencialmente com dois momentos distintos: numa primeira parte Paulo Leitão, com o apoio de Alexandre Sousa da Lusotecnalia, explicou aos presentes em que é que consistia a I4.0 e as suas vantagens. Na segunda parte, os empresários flavienses puderam assistir ao funcionamento das tecnologias da quarta revolução industrial.

Na opinião de Paulo Leitão ainda há uma certa distância entre estas tecnologias e as empresas muito por causa do desconhecimento da existência destas ferramentas.
Presente no evento, o presidente da ACISAT, Jorge Paulo Santos, acredita que este projeto “vem esbater essa distância e adequar o que é investigado à utilidade que as empresas lhe possam dar, e vice-versa”.


Para o responsável, trata-se de uma oportunidade para as empresas trabalharem em conjunto com as equipas de investigadores do ensino superior demonstrando as necessidades específicas que têm para que depois esse desenvolvimento seja também adequado em resposta a essas necessidades”.

“No Alto Tâmega foram convidadas a participar no projeto todas as empresas, também vários jovens que estão a terminar os estudos e que se interessam pelas novas tecnologias no sentido de disseminar esta oportunidade”, sublinhou Jorge Paulo Santos.

No final, os empresários e os responsáveis pelo projeto trocaram ainda algumas ideias no sentido de verificar de que forma é que a aplicação destas tecnologias poderia ser uma mais-valia nas empresas de cada um.
Chaves foi a segunda cidade escolhida para a apresentação do projeto da Indústria 4.0, a primeira foi Bragança, e esta semana foi a vez de Vila Real receber as “tecnologias do futuro”.

O projeto conta com uma equipa de especialistas, doutorados e alunos, do IPB.
A sessão teve a parceria do Instituto Politécnico de Viseu – Escola de Lamego e do Brigantia EcoPark.

Cátia Portela

 

loading...
Share.

Deixe Comentário