Como elaborar um curriculum vitae ou uma carta de apresentação e que cuidados ter em conta numa entrevista de emprego foram algumas das temáticas desenvolvidas no “XIV Seminário Saídas Profissionais – 1º Emprego”, organizado pela Escola Profissional de Chaves.

Cerca de 65 alunos finalistas dos cursos de Cozinha/Pastelaria, Informática de Gestão, Mecatrónica e Restaurante/Bar participaram na quinta-feira passada, dia 23, numa sessão informativa que pretendeu esclarecer os jovens recém-formados sobre as oportunidades profissionais existentes no mercado de trabalho.

“Uma das géneses do ensino profissional é preparar estes jovens com a escolaridade obrigatória, ou seja, o 12º ano, e com conhecimentos práticos que lhes permitam estarem minimamente preparados para ingressar no mercado de trabalho, por isso mesmo se chamam cursos de dupla certificação”, explicou o diretor executivo da Escola Profissional de Chaves (EPC). “Evidentemente que ainda não são técnicos especialistas, mas têm conhecimento específico nestas áreas de formação e estão aptos para trabalhar”, acrescentou o responsável.
Depois de terminarem a sua formação, estes jovens poderão seguir três caminhos, tal como acontece no ensino regular: o ensino universitário, através da realização dos respetivos exames de admissão, o mercado de trabalho e a criação do seu próprio emprego.

Neste contexto, no seminário estiveram presentes três oradores de diferentes áreas que ajudaram os alunos a perceber as suas possibilidades futuras. Foi o caso da responsável pela Unidade de Inserção na Vida Ativa (UNIVA) da EPC, Cláudia Martinho, da diretora do Centro de Emprego e Formação Profissional do Alto Tâmega, Gisela Espírito Santo, e do primeiro secretário executivo da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT), Ramiro Gonçalves.

Jorge Paulo Santos acredita que o acompanhamento pós formativo é uma das “obrigações” da escola. Muitos destes jovens vão agora começar a procurar emprego e é importante saberem por onde devem começar, que oportunidades existem, quais as regras para a elaboração de um curriculum vitae, como se devem apresentar numa entrevista de emprego, que tipo de empresas existem, como é que se inscrevem no instituto de emprego para serem candidatos a propostas que possam surgir e quais as ajudas financeiras que existem para o período de procura de emprego.

Por fim, o seminário sobre saídas profissionais inclui sempre um orador da área de recursos humanos pertencente a grandes grupos económicos nacionais, como é o caso da UNICER, da Solverde, da EDP, entre outras. Este ano, e pela primeira vez, a direção da EPC decidiu trazer até ao meio estudantil presente nesta conferência a temática do empreendedorismo.

“Este ano fomos um bocadinho mais ambiciosos, e indo ao encontro das estratégias desenvolvidas pela CIMAT no âmbito territorial, quisemos estimular junto destes jovens a ideia da criação do autoemprego, facultando-lhes toda a informação sobre os apoios de que necessitam, para que também consigamos fixar população na região”, sustentou o diretor da escola flaviense.

Segundo afirmou Jorge Paulo Santos a formação ministrada na EPC “qualifica suficientemente para projetos de empreendedorismo” na área em que o aluno desenvolveu os seus estudos.

“O balanço desta edição é francamente positivo e julgo que evoluímos com a introdução desta ideia”, sublinhou o responsável.

A iniciativa é dinamizada pela UNIVA e contou com a colaboração dos alunos que estudam nas áreas de Vendas e Marketing, Cozinha/Pastelaria e Restaurante/Bar.

Cátia Portela

loading...
Share.

Deixe Comentário