A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou que a partir de segunda-feira, dia 18, as visitas a Estruturas Residenciais para Idosos (ERPI) e Unidades de Cuidados Continuados Integrados (UCCI) podem ser retomadas, mas com várias restrições.

Neste contexto, a Unidade de Saúde Pública (USP) do Alto Tâmega e Barroso, em parceria com a Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT), definiu que a reabertura para visitas das ERPI e das UCCI apenas deverão ser retomadas caso “possam ser acautelados os requisitos estabelecidos na informação número 011/2020, tendo como prioridade a proteção da saúde dos residentes e utentes das instituições”.

A informação da DGS relativamente ao número 011/2020 estabelece que “a instituição deve ter um plano para operacionalização das visitas e ter identificado um profissional responsável pelo processo”. A mesma “deve comunicar aos familiares e outros visitantes as condições nas quais as visitas decorrem”, garantindo o agendamento prévio das visitas, para acautelar “a utilização adequada do espaço que lhe está alocado, a respetiva higienização entre visitas e manutenção do distanciamento físico apropriado”. Deverá ainda haver um registo organizado de visitantes, por data, hora, nome, contacto e residente visitado. As pessoas que participam na visita devem manter o cumprimento de todas as medidas de distanciamento físico, etiqueta respiratória e higienização das mãos (desinfeção com solução à base de álcool ou lavagem com água e sabão). Por fim, as pessoas com sinais ou sintomas sugestivos de covid-19 ou com contacto com um caso suspeito ou confirmado de covid-19 nos últimos 14 dias, não devem realizar ou receber visitas.

A USP do Alto Tâmega e Barroso e a CIMAT acrescentam que mesmo após o reinício das visitas, as ERPI e UCCI devem continuar a incentivar e garantir os meios para que os residentes e utentes possam comunicar com os familiares e amigos preferencialmente através de videochamada ou telefone.

Os mesmos responsáveis lembram que o agendamento das visitas é de extrema importância para evitar a aglomeração de visitantes, mesmo no exterior das instituições.

A USP recomenda ainda que, sempre que possível, seja utilizada uma barreira física transparente entre os visitantes e os residentes e utentes.

A USP irá organizar em breve uma sessão de esclarecimento destinada aos membros das ERPI e UCCI sobre as precauções a adotar na gestão das visitas.

A DGS adiantou ainda que, em articulação com a autoridade de saúde local e mediante situação epidemiológica específica, pode ser determinada a suspensão de visitas às instituições por tempo limitado.

loading...
Share.

Deixe Comentário