Alguns clubes dos escalões secundários do futsal português lamentaram o comunicado divulgado pelas equipas da I Liga contra um eventual alargamento da competição, acusando os primodivisionários de serem “os donos disto tudo”.

“Mais uma vez, os pseudo ‘DDT’ (donos disto tudo) revelaram enormes lacunas de análise, uma incoerência brutal e uma falta de conhecimento, que é imperdoável em clubes que se dizem amadores, mas pagam como profissionais”, referem 11 clubes de divisões secundárias, desde a II Liga aos distritais.

Na nota, os clubes, entre o quais estão o Caxinas e o Ferreira do Zêzere, da II Liga, que se encontravam em zona de discussão pela subida ao escalão principal, na zona norte e sul, dizem que o comunicado é uma forma de pressão sobre a Federação Portuguesa de Futebol (FPF). O Valpaços Futsal, da AF Vila Real, também faz parte do grupo de clubes.

O clube valpacense liderava isolado o distrital de futsal sénior masculino da Associação de Futebol de Vila Real que estava a uma jornada do fim da primeira fase quando foi cancelado devido à pandemia de covid-19. A fase de Play-off de apuramento de campeão não se chegou a realizar.

“Os clubes da Liga incitam e pressionam a FPF a ter dois pesos e duas medidas, não se preocupando com a igualdade e equidade que, obrigatoriamente, têm de existir num estado de direito e numa instituição de referência como a Federação Portuguesa de Futebol”, acusam.

A nota acusa ainda os clubes primodivisionários de quererem um tratamento “diferenciado” e que os mesmos entram em contradição quando sugerem a não subida e descida de divisão num ponto e em outro querem uma alteração dos quadros competitivos.

O comunicado surge em reação à posição de 12 dos 14 clubes da I Liga, com exceção de Belenenses e Clube Recreativo de Candoso, devido a conflito de interesses, para que não exista um alargamento do campeonato.

“Estamos em total desacordo com qualquer alargamento da Liga (…), bem como qualquer alteração do modelo competitivo, com o intuito de salvaguardar o nível de competitividade da prova”, indicaram os clubes, em comunicado, subscrito por 12 dos 14 emblemas.

A tomada de posição surgiu após uma reunião dos clubes por videoconferência e contou apenas com a abstenção de Belenenses e Clube Recreativo de Candoso, que ocupavam os últimos lugares na Liga quando a prova foi suspensa, devido à pandemia de covid-19.

Na última semana, a federação anunciou várias mudanças nos campeonatos não profissionais, nomeadamente com a criação de uma III Liga em 2021/22, acima do Campeonato de Portugal, e o alargamento da Liga feminina em 2020/21, de 12 para 20 equipas, mas sem que ainda tenha manifestado mudanças para o futsal.

Em 08 de abril, a FPF cancelou os campeonatos seniores não profissionais de futebol e de futsal da época 2019/20, devido à pandemia de covid-19, não tendo sido atribuídos títulos de campeão, nem aplicado o regime de subidas e descidas.

loading...
Share.

Deixe Comentário