A Eurocidade Chaves-Verín, AECT analisou a “adesão de turistas aos postos de turismo do destino “Eurocidade da Água” durante o verão.

As conclusões denotam, apesar das limitações que se fazem sentir nos dois países devido ao Covid-19 e ao facto das fronteiras terem aberto apenas no dia 1 de julho, o número de visitantes nos postos de turismo da Eurocidade foi muito significativo. No mês de agosto, no Turismo de Chaves o número de visitantes foi de 6558 e 1273 em Vidago.

A maior percentagem de visitantes corresponde a turistas nacionais e logo de seguida, a visitantes da vizinha Espanha. No entanto, a percentagem de turistas portugueses traduz um aumento significativo em comparação a anos anteriores. Em Chaves os turistas nacionais traduzem-se em 85% das visitas turísticas e em Vidago correspondem a mais de 90%.

Do outro lado da raia, o número de visitas ao Posto de Turismo de Monterrei, ascenderam a mais de 5000 visitantes durante os meses de verão e com um volume de 10 visitas guiadas por semana.  Apesar da diminuição de visitas em julho, o mês de agosto aumentou consideravelmente o número total aproximando-se dos dados do ano anterior. Ao igual que no bairro sul, a maior percentagem de visitantes corresponde a turistas nacionais e logo de seguida a visitantes de Portugal.

Os dados sobre a afluência turística foram partilhados pela Divisão de Cultura e Turismo da Câmara de Chaves, pelo Posto de Turismo de Vidago e pelo Posto de Turismo de Monterrei.

O projeto “Destino Frontera”, do qual a Eurocidade Chaves-Verin é parceiro, tem por objetivo a implementação de uma estratégia de desenvolvimento do turismo da fronteira lusoespanhola enquanto destino único, integrado e estruturado. Com suporte nos recursos endógenos partilhados, numa especialização da oferta que permita reduzir os custos da sua promoção, contribuir para a diminuição das desigualdades territoriais e para a promoção do desenvolvimento sustentável das regiões fronteiriças. Pretende-se, assim, valorizar os recursos autóctones dos territórios abrangidos pelo projeto e promover a “raia ibérica” como valor acrescentado e diferenciador do turismo em toda a sua extensão.

Esta ação é desenvolvida no âmbito do projeto “Destino Frontera”, aprovado pelo Programa INTERREG V-A Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020, com cofinanciamento FEDER.

loading...
Share.

Deixe Comentário