O Plano de Operações Distrital, no âmbito do Dispositivo Especial de Combate aos Incêndios Rurais (DECIR 2020), foi apresentado, na quinta-feira, dia 14 de maio, no decorrer de uma reunião da Comissão Distrital de Proteção Civil de Vila Real.

Este ano, segundo o presidente da comissão distrital e presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, vai ser necessário lidar com a “pandemia de covid-19 e os incêndios em simultâneo”, o que representa uma dificuldade acrescida.

“Vamos ter de conviver com estas duas situações e é preciso prevenir”, sublinhou.

Nesse sentido, foi feito um pedido aos Agrupamentos dos Centros de Saúde do Alto Tâmega e do Douro I – Marão e Douro para que os bombeiros do distrito de Vila Real que vão integrar o dispositivo de combate a incêndios sejam testados à covid-19 a partir da próxima semana. No total, serão testados cerca de 200 bombeiros.

Esta é uma medida importante para o presidente que, lembrou, “no caso de ser detetado um caso positivo num quartel, este terá de ser encerrado”, e, por isso, alertou também para a necessidade de haver equipas de retaguarda.

“A segurança e a proteção dos operacionais tem de ser redobrada, não só por causa dos incêndios, mas também pelo perigo de contágio da covid-19”, salientou.

Durante a reunião foi também solicitado o rastreio aos sapadores florestais. Fernando Queiroga disse que o pedido nesse sentido será também feito aos ACES do distrito.

O autarca pediu ainda aos colegas presidentes de câmara para, quando for necessário, serem servidas refeições individuais aos operacionais no terreno.

A partir de sexta-feira, no designado nível reforçado II, o dispositivo no distrito será composto por um total de 574 elementos, 144 viaturas e dois helicópteros.

O maior reforço é garantido na fase de maior risco de incêndio, entre 1 de julho e 30 de setembro, com 754 operacionais, 183 veículos, estando nesse período já ativados quatro helicópteros espalhados pelos três meios aéreos do distrito.

loading...
Share.

Deixe Comentário