O auditório da Biblioteca Municipal de Chaves foi o local escolhido, no passado dia 10 de maio, para a apresentação de mais uma obra de Barroso da Fonte: “Crónicas do tempo da guerra por quem a viveu (Angola 1965/67)”.

Durante os dois anos que esteve em Angola, Barroso da Fonte, natural do lugar de Codeçoso, concelho de Montalegre, escreveu 104 crónicas. Estas, intituladas “Portugal de Lés-a-lés”, eram enviadas pelo correio e publicadas num jornal em Chaves.

Tendo preservado todos os exemplares que escreveu ao longo desse tempo, o seu filho, que seguiu as pisadas do pai no jornalismo, decidiu fazer-lhe uma surpresa e reuniu todas as crónicas que compõem este livro.

“A escrita teve uma grande evolução durante todos estes anos. Na altura eu também não tinha a experiência que fui ganhando com o passar dos anos. Este livro retrata a minha experiência enquanto militar no Ultramar. É de facto um livro de histórias da guerra escritas por quem a viveu”, explicou o autor das crónicas.

A apresentação deste livro ficou a cargo de Maria Isabel Viçoso, presidente da direção do grupo “Aquae Flaviae”, e da professora Maria da Assunção Anes Morais, contando também com a presença de Francisco Melo, vice-presidente da Câmara Municipal de Chaves, que referiu que “o município tem sempre muito empenho na apresentação de livros que possam, ao fim e ao cabo, levantar debates, discussões, trazer novas ideias, ou mesmo trazer a história daquilo que foram os acontecimentos da nossa terra, de quem os viveu na primeira pessoa, com uma visão muito própria de cada um desses acontecimentos, e, a partir daí, podermos retratar-nos nessa mesma visão”.

Maura Teixeira

loading...
Share.

Deixe Comentário