Organização do certame espera venda de cerca de 30 toneladas de fumeiro e volume de negócios a rondar os 350 mil euros. A qualidade dos produtos para venda no recinto da Feira é uma das grandes razões para o “sucesso” do certame.

Nos dias 14, 15 e 16 de Janeiro, Boticas promete voltar a transformar-se num local de “romaria” obrigatória, por ocasião da Feira Gastronómica do Porco, um certame que conta com organização da Câmara Municipal de Boticas, e terá lugar no Pavilhão Multiusos. Nesta XIII edição, a Feira do Porco vai, uma vez mais, procurar “marcar pela diferença” em relação a outros eventos do género que se realizam na região, apostando na promoção da gastronomia do concelho e dos seus pratos tradicionais, confeccionados à base da carne de porco e fumeiro.

De acordo com o gabinete de imprensa da Câmara de Boticas, “ao longo dos tempos, a Feira Gastronómica do Porco atingiu tal dimensão que ganhou o direito a ser considerada um evento de grande significado para a economia local, em especial para aqueles que continuam a criar o porco e a fazer os enchidos da forma tradicional e que encontram nesta feira oportunidades de negócio únicas e o reconhecimento da qualidade dos seus produtos”.

Apesar da crise que afecta a economia nacional, a organização da Feira Gastronómica do Porco não conta que tal possa afectar o certame, até porque “em épocas de crise a população costuma comprar menos, mas continua a comprar os produtos que comprovadamente sabe que são de qualidade”. Neste contexto, estima que o volume de negócios ronde 350 mil euros, decorrentes da venda de aproximadamente 30 toneladas de fumeiro.

Tendo em conta a dimensão alcançada pela Feira Gastronómica do Porco nas edições anteriores e a crescente procura dos produtos, a organização prevê que o número de visitantes desta edição ronde as 50 mil pessoas, oriundas das mais variadas regiões do país (em particular da região Norte) e da vizinha Espanha.

De ano para ano, a grande preocupação da organização foi “melhorar cada vez mais a qualidade do certame, a começar pelos produtos para venda, garantindo a sua genuinidade e autenticidade e exercendo um rigoroso controlo em relação às condições em que estes são produzidos, certificando-se que são respeitadas as boas práticas de higiene na confecção do Fumeiro Tradicional, de acordo com a legislação em vigor e as regras instituídas pela Direcção-geral de Veterinária e pela Direcção-geral de Fiscalização e Controlo da Qualidade Alimentar”. De ano para ano, o número de produtores de fumeiro presentes não tem conhecido grande oscilação, rondando a meia centena, aos quais se somam mais duas dezenas de stands de exposição e venda de artesanato.

Tradicionais tasquinhas e muita animação não vão faltar

Para além da mostra e venda de fumeiro, as “tasquinhas”, que tanta fama têm dado à Feira do Porco e que são, no fundo, a “alma” deste certame, voltam a ocupar o lugar central. Os restaurantes do concelho voltam a associar-se à iniciativa e mesmo os que não estão representados no recinto irão disponibilizar uma ementa com pratos confeccionados à base da carne de porco.

Os visitantes vão poder provar, entre muitas e saborosas especialidades gastronómicas locais: o Arroz de Costelas e Chouriça, o Cozido à Barrosã, o Caldo Barrosão, os Rojões no Pote, as Costelas de Vinho e Alho e a Feijoada Barrosã, para além dos produtos fumados como o salpicão, a chouriça e a alheira, não esquecendo o presunto de Barroso, a bola centeia e os vinhos regionais, com particular referência para o peculiar “Vinho dos Mortos”.

Além da gastronomia, haverá muita animação durante os três dias, a começar pelas tradicionais “chegas de bois”, tendo como palco o recinto do Campo de Futebol, contíguo ao Pavilhão Multiusos. Também no exterior do recinto, este ano realizar-se-á, pela primeira vez, uma “feira à moda antiga”, reunindo variadíssimas iguarias e artefactos relacionados com a tanoaria, olaria, cestaria, peles, escultura em pedra e madeira, instrumentos artesanais, sabonetes artesanais, bebidas espirituosas (ginjinha), frutos secos caramelizados, pão caseiro, chás, etc.

Todos os artesãos e gastrónomos que participarão nesta “feira à moda antiga” estarão vestidos a rigor com trajes de época, fazendo lembrar tempos de outrora e contribuindo para criar um cenário envolvente em redor da Feira Gastronómica do Porco. No interior do recinto, actuarão os grupos de música tradicional e popular do concelho e da região.

Redacção

loading...
Share.

Deixe Comentário