Durante quatro dias, plantas medicinais, chás, ervas e “mezinhas” voltam a animar a aldeia de Vilar de Perdizes. Este ano, a 26ª edição do Congresso de Medicina Popular lança também a biografia do Padre Fontes, exibe o documentário “Sapos e Bruxas” e apresenta ervas afrodisíacas para idosos.

“Quem tem uma horta, tem uma farmácia à porta!”. Quem o diz é o conhecido padre de Cambezes do Rio, António Fontes, a alma do Congresso de Medicina Popular, que abriu portas ontem, quinta-feira 30 de Agosto, para valorizar o poder das plantas na cura de doenças e maleitas. Com um cartaz muito voltado para a saúde, já que em tempos de crise “a medicina popular é mais barata” do que a científica, o Padre Fontes admitiu à Voz de Chaves esperar que a 26ª edição do congresso continue a atrair muita gente e a cumprir a função de travar a desertificação e promover a riqueza cultural da região, apesar de este ano o número de expositores ser mais reduzido.

Longe de ser repetitivo, “o oculto é um tema muito profundo, que tem muito por dizer e pouca gente a falar sobre ele. […] Há sempre algo a aprender e a transmitir de novo”, conclui o impulsionador do Congresso de Medicina Popular, que continua a contar com o apoio logístico da Câmara Municipal de Montalegre. Esta sexta-feira, o evento inicia com um workshop de plantas medicinais às 10 horas e as palestras iniciam às 15 horas, com temas variados como “Resposta da Medicina Popular ao Stress” (Sara Repolho), “Cura no rural e no urbano” (David Simões), poder das plantas medicinais e medicina antiga. Será ainda apresentado o livro “Isto sim é que é viver” de Eugénia Martins. À noite, a partir das 21 horas, haverá apresentações de técnicas de massagem, shiatsu e medicina tradicional chinesa Tai Chi, entre outras, e a exibição do documentário sobre as origens da Sexta-feira 13 – “Sapos e Bruxas” – do realizador natural de Montalegre, Luís Pedreira.

No sábado, está agendada, às 10 horas, uma visita guiada à aldeia de Vilar de Perdizes, enquanto que a partir das 15 horas irá falar-se de saúde, nomeadamente dos benefícios dos produtos naturais da colmeia, fibromialgia, AVC, artrose, tendinites e anti-envelhecimento, terminando a sessão com a apresentação da biografia do Padre Fontes. A partir das 21 horas, as palestras prosseguem com “Hierofanias, factos cíclicos na história das religiões”, pelo historiador natural de Montalegre João Barroso da Fonte e “Etnomedicinas mesoamericanas”, por Alfonso J. Aparício Mena, entre outros temas, como acupunctura e cuidados paliativos, e ainda uma análise científica da bruxaria pelo francês Jean Claud Guiraud. No final, o Padre Fontes e o Bruxo Queiman, acompanhados da trupe da Filandorra, irão deliciar a assistência com o ritual da Queimada.

No último dia, domingo, haverá uma missa pelos participantes falecidos às 10 horas e uma comunicação de João Costa sobre “Ervas Afrodisíacas para idosos”, encerrando o Congresso com um piquenique no recinto da Senhora da Saúde (com participação sujeita a inscrição). Em paralelo, estará aberta todos os dias uma feira esotérica e uma exposição de plantas medicinais.

Sandra Pereira

 

loading...
Share.

Deixe Comentário