A Câmara de Vila Pouca de Aguiar aprovou na segunda-feira, dia 15, por unanimidade, apoios excecionais à comunidade devido à crise Covid-19, a aplicar desde junho até ao próximo mês de setembro.

Alberto Machado, presidente da autarquia aguiarense, referiu que todas as famílias que tiveram quebras de rendimento significativas serão apoiadas, rendimentos per capita inferior a 50 % do IAS, também agricultores e comerciantes afetados pela crise pandémica.

Os apoios incluem a comparticipação mensal de 50€, por cada elemento do agregado familiar, para adquirir, no concelho, bens alimentares e artigos de higiene e a redução de 50% nas tarifas de abastecimento de água, saneamento e resíduos, medida alargada aos comércios locais, serviços e IPSS.

A autarquia aguiarense decidiu também suspender o pagamento do licenciamento para a instalação de esplanadas, assim como de rendas em lojas do município.

As pessoas residentes no concelho que apresentem ainda condições de vulnerabilidade, como doença, desemprego, em sistema de lay-off e outras razões de inatividade profissional, podem candidatar-se aos apoios através do correio eletrónico geral@cm-vpaguiar.pt ou pelo balcão do atendimento na autarquia.

Os produtores locais presentes na feira semanal do Mercado de Produtos estão também isentos do pagamento de taxas e licenças. Durante A autarquia vai comparticipar a 100% a sanidade animal e financiar em 9.240€ os bombeiros voluntários para encargos com as refeições.

Por fim, o Câmara de Vila Pouca de Aguiar dará “prioridade na contratação de proximidade” e apostará na promoção do comércio local, em parceria com a AECorgo.

As medidas agora adotadas vêm reforçar a resposta social que o município tem dado desde o início da crise pandémica e procuram incentivar a recuperação da atividade socioeconómica no concelho.

 

loading...
Share.

Deixe Comentário