A Câmara de Chaves levou a efeito a constituição de seis novos trilhos pedestres em diversas freguesias do concelho num total de 80 quilómetros que permitem conhecer antigas rotas do contrabando, vias romanas ou caminho-de-ferro.

Com o nome ‘Trilhos de visitação do património natural e cultural do concelho de Chaves’, a iniciativa contempla a construção de seis trilhos novos no concelho e envolve um investimento de cerca de 180 mil euros e será inaugurado em breve.

Conheça os trilhos com mais pormenor no jornal A Voz de Chaves, na edição de 24 de junho de 2020.

O trilho mais longo tem 17,4 quilómetros, na freguesia de Vilarelho da Raia, e permite caminhar através do antigo caminho misto, na fronteira entre Portugal e a Galiza, em Espanha, pelos antigos trilhos do contrabando e até pela antiga via romana.

Além do caminho pela natureza, o trilho permite ainda contemplar património cultural, como o forno comunitário e o cruzeiro do cemitério em Vilela Seca, ou o antigo marco fronteiriço, moinhos de cereais e azeite ou as casas destruídas pelo exército e GNR em 1946 na perseguição a quatro guerrilheiros espanhóis antifranquistas.

Outro dos trilhos ‘Seara Velha – Castelões’, de 13,7 quilómetros, proporciona, além do contacto com a natureza, a passagem por várias igrejas e santuários, pelas localidades de Seara Velha (Igreja Paroquial), Calvão (Igreja Paroquial e Capela de São José) e Castelões (Igreja e Santuários da Nossa Senhora das Necessidades e Nossa Senhora da Aparecida).

Em outro ponto do concelho, o trilho ‘moinhos de São Lourenço’, o mais curto dos seis com 9,6 quilómetros, permite caminhar por passadiços e pela antiga via romana e passa pelo miradouro de São Lourenço, por uma ponte medieval e por uma ponte romana.

A vila de Vidago também tem um trilho, de 13,6 quilómetros, com o nome ‘Vidago – Arcossó’ e que permite caminhar pela antiga linha de caminho-de-ferro do Corgo, passar sobre o rio Tâmega, visitar as igrejaz matriz de Vilarinho das Paranheiras e Arcossó e ainda a Casa – Museu João Vieira.

O trilho ‘Quinta do Rebentão’, de 14,5 quilómetros, contempla passagens pela antiga via romana, e vários locais religiosos como o Santuário de Nossa Senhora da Saúde.

Com 10 quilómetros, o trilho ‘Castelo de Monforte’ passa pelo antigo Castelo de Monforte e ainda pelas capelas (São Miguel e Santa Bárbara) e pela Igreja da Nossa Senhora da Natividade.

O projeto foi aprovado pela Associação de Desenvolvimento da Região do Alto Tâmega (ADRAT) e é cofinanciado em 50% pelo Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 (PDR2020).

“Os trabalhos envolvem a implementação de sinalética, colocação de estruturas de apoio e limpeza dos percursos e permitem aos visitantes a oportunidade de percorrer os trilhos e visitar o património cultural e natural, potenciando o turismo de natureza da região”, acrescenta. 

Os percursos pedestres são registados e homologados pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal e pela Federação Europeia de Caminhadas.

loading...
Share.

Deixe Comentário