Primeiro jogo oficial da época foi em São Mamede de Infesta para a 1ª Eliminatória da Taça de Portugal, ondes os flavienses seguiram em frente. Agora para o campeonato, o GD Chaves pretende voltar a levar a melhor. A partida é domingo, 7 de Outubro, às 15 horas.

Foi uma partida complica para a formação flaviense em Infesta, num jogo que teve de ser resolvido nas grandes penalidades, mas onde a união da equipa demonstrou que é possível ultrapassar os obstáculos. Agora, o objectivo é voltar a ser feliz pela segunda vez. O Chaves parte para a 4ª jornada do Campeonato Nacional da II Divisão, Zona Norte, como líder com sete pontos, enquanto o Infesta soma três pontos.

“Será um jogo muito difícil e sabemos isso pelas dificuldades que lá tivemos para seguir em frente na Taça de Portugal”, analisou o treinador dos flavienses. Para Hélder Fontes a grande arma da equipa de Infesta é o factor casa. “O campo é pequeno e sintético e quando o Infesta joga em casa tem o apoio do seu público e transcende-se. Conheço bem o treinador e a grande força são os jogos em casa”, explicou.

O técnico do GD Chaves realçou que a sua equipa não foi construída para ganhar apenas em casa. “Não encaro um campeonato e o crescimento da equipa dessa forma [a pensar no factor casa], pois as equipas grandes são construídas para lutar tanto em casa como fora”, realçou.

“Sinto a equipa forte. No jogo com o Famalicão ficou evidente que a haver um vencedor seriamos nós, mas as contingências do jogo resultaram no empate. Agora vamos lutar pelos três pontos fora de casa”, garantiu Hélder Fontes, que terá obrigatoriamente de mexer no onze inicial, depois do vermelho directo a Ramalho.

Correia analisa os dois clubes

O central Correia, de 33 anos, já passou pelo GD Chaves e está agora ao serviço do Infesta. Em declarações À Voz de Chaves realçou que a sua actual equipa “precisa de ganhar em casa”, pois “precisa de pontos”, mas está consciente das dificuldades neste reencontro com o Chaves.

“Vamos ter um difícil adversário que lidera o campeonato. Queremos ganhar apesar de sabermos que irá ser um duro teste. Gostei do Chaves para a Taça, foi o adversário mais complicado que tivemos”, atira o central.

Para Correia “o Infesta tem-se apresentado forte em casa”, mas fora de portas a equipa “ainda está à procura de uma estratégia melhor”. “Estamos no bom caminho, para fazer um campeonato tranquilo”, assegurou.

Convidado a relembrar os tempos passados em Chaves, onde representou os flavienses em 2002/2003 e 2003/2004, Correia afira que foram “bons tempos”. “Gostei muito de jogar em Chaves, onde fiz bons amigos e guardo grandes lembranças, na altura na Liga de Honra”, garantiu, concluindo destacando que “o Desportivo arrasta uma região” e que “merece estar nos grandes palcos do futebol português”.

Diogo Caldas

 

loading...
Share.

Deixe Comentário