A Escola Dr. Júlio Martins comemorou no dia 2 de maio com pompa e circunstância o seu centenário. A cerimónia contou com a presença do secretário de Estado da Juventude e Desporto que destacou o papel da escola enquanto elemento chave na “emancipação” das pessoas.

A apresentação de uma medalha comemorativa, o descerramento de uma placa, cântico dos “parabéns”, com direito a bolo, aos alunos que festejam no dia 2 de maio o seu aniversário e a realização de um “abraço gigante” na rotunda da Avenida 5 de Outubro, simbolizando a amizade entre toda a comunidade educativa, foram alguns dos momentos que marcaram o centenário da Escola Dr. Júlio Martins.

Durante este ano letivo a Escola Dr. Júlio Martins tem realizado diversas atividades, culturais e desportivas, com o objetivo de assinalar os cem anos desde a sua criação, inicialmente conhecida como Escola Industrial e Aula Comercial. Na quinta-feira passada foi o dia oficial dessas comemorações e o dia em que se recordaram os fundadores da instituição, a sua história e se enumeraram alguns dos desafios que as escolas públicas enfrentam nos dias de hoje.

Nas palavras do diretor do Agrupamento de Escolas Dr. Júlio Martins é necessário “cumprir a escola” e continuar a honrar o seu legado. Para Joaquim Tomaz a escola não pode ser um espaço de elites, ou estar aberta apenas para determinados grupos, mas deve sim ser um lugar que integra todas as pessoas, independentemente do seu meio económico ou social.

Joaquim Tomaz é diretor da escola desde 2012, mas a sua ligação ao estabelecimento de ensino começou muito antes. Seria na Escola Dr. Júlio Martins que o docente viria a passar alguns dos melhores momentos da sua juventude ao integrar, na década de 70, uma das turmas do 5º ano. Depois de frequentar o ensino universitário, quis o destino que regressasse à sua terra e viesse dirigir aquela que o viu crescer e tornar-se num flaviense de sucesso.

“É com muita honra e orgulho que aqui estou. Sinto uma grande emoção porque fiz aqui a minha escolaridade, apesar das dificuldades e dos encargos que os meus pais tinham”, sublinhou o diretor.

Em dia de aniversário, o secretário de Estado da Juventude e do Desporto mostrou-se satisfeito por estar em Chaves e falou sobre a importância que a escola tem na educação das pessoas, através da disponibilização de ferramentas que permitem a sua emancipação e evolução. João Paulo Rebelo destacou ainda o carácter humanista de Júlio Martins.

“As pessoas têm de estar no centro das preocupações, das políticas, da atividade económica e social porque não há nada mais importante do que as pessoas”.

No mesmo sentido, o presidente da Câmara de Chaves acrescentou que o importante é formar cidadãos que saibam pensar, refletir e que não sejam apenas recetores de mensagens, sendo “esta a arma da revolução e que permite transformar as comunidades”.

No final da sessão solene, o secretário de Estado da Juventude e do Desporto visitou as instalações da Escola Secundária Dr. Júlio Martins e ficou a conhecer o Centro de Recursos de Atividades Laboratoriais Móveis, projeto criado pelo professor de física Jorge Teixeira, considerado em 2018 o melhor professor do país pelo Global Teacher Prize. Este centro, que será inaugurado no final deste ano, inícios do próximo, pretende “ensinar os alunos a pensar, facilitar a flexibilidade, promover a inclusão e melhorar a literacia científica da região”.

De referir ainda a presença no centenário do presidente do júri do Global Teacher Prize Portugal, Afonso Mendonça Reis, entre outras figuras da sociedade flaviense.

A escola sede do Agrupamento de Escolas Dr. Júlio Martins é frequentada por mais de mil alunos, entre o 7º e o 12º anos. Os restantes mil alunos encontram-se distribuídos pelos diferentes estabelecimentos de ensino que integram o agrupamento, nomeadamente as escolas básicas de 1º, 2º e 3º ciclos.

Cátia Portela

loading...
Share.

Deixe Comentário