Na segunda-feira, dia 7 de outubro, a Biblioteca Municipal de Chaves recebeu a apresentação do AnteProjeto da nova Piscina Municipal. A sessão contou com casa cheia.

Melhorar as condições de utilização da piscina, das suas instalações, melhorar também as infraestruturas técnicas do edifício, manter a utilização de natureza recreativa assim como a utilização de natureza formativa, e adotar uma utilização de natureza desportiva são os principais objetivos da intervenção que se pretende fazer neste equipamento com quase quatro décadas de existência.
A ideia será então manter o edifício já existente no Jardim do Tabolado melhorando as suas condições. A utilização das piscinas por parte dos munícipes será permitida durante as intervenções, não pondo assim em causa quaisquer atividades desportivas ou lúdicas.
O projeto apresentado prevê a reconstrução e ampliação dos dois tanques já existentes e a criação de um novo tanque com 17 metros de largura por 25 de comprimento. Serão também construídos novos balneários, uma bancada com capacidade para 300 lugares sentados, e um espaço de lazer para familiares e amigos que acompanhem os atletas ou outros utilizadores das piscinas.
Nuno Azevedo, um dos arquitetos responsáveis pelo projeto, fez a apresentação, e, posteriormente, Nuno Vaz, presidente da Câmara Municipal de Chaves, explicou a necessidade de uma intervenção neste espaço: “Se há coisa na qual estamos de acordo é que efetivamente a velhinha piscina municipal, que já nos acompanha há cerca de 39 anos, está a chegar ao fim do ciclo. E por mais pensamentos de requalificações que possamos fazer, o edifício não responde àquilo que são as necessidades existentes hoje na nossa comunidade, seja dos clubes, da comunidade escolar, dos seniores, enfim, de qualquer cidadão que queira fazer uma utilização lúdica e recreativa destas piscinas. Além disso, sabemos que as piscinas hoje representam um péssimo desempenho a nível energético. Os custos para manter umas piscinas desta natureza são um encargo muito relevante e, portanto, entendemos que era chegada a hora de por à consideração dos nossos concidadãos aquilo que nós gostaríamos que acontecesse em Chaves”.
Estima-se que a realização desta obra ultrapasse os cinco milhões de euros. No entanto, o edil flaviense espera ver o concurso público iniciado ainda no próximo ano: “Não sabemos hoje exatamente o valor porque isso só será possível apurar quando houver projetos de execução em que nós possamos incorporar contributos, sugestões, propostas que por ventura os flavienses queiram dar-nos e que possam ser interpretadas e assumidas como relevantes e importantes na incorporação depois da solução final do projeto. Só saberemos verdadeiramente o preço quando a adjudicarmos e a executarmos na íntegra. Gostaríamos muito que o processo de início do concurso, que será naturalmente bastante complexo e com uma dimensão financeira muito relevante, pudesse acontecer ainda em 2020”.
No final as pessoas que se encontravam na plateia tiveram a oportunidade de expor as suas dúvidas ao autarca e ao arquiteto. Até ao dia 15 de novembro todos os interessados poderão contribuir com sugestões através de um formulário disponibilizado no site do município (www.chaves.pt) ou nos serviços da Divisão de Projetos e Mobilidade da autarquia.
A sessão pública que teve lugar na passada segunda-feira pretendeu, de acordo com a autarquia flaviense, “dar continuidade ao modelo de discussão pública instituído por este executivo municipal, na tentativa de envolver a população nos projetos de maior relevância para o desenvolvimento do concelho”.

Maura Teixeira

loading...
Share.

Deixe Comentário