A sede da ADRAT – Associação de Desenvolvimento da Região do Alto Tâmega, em Chaves, foi o local escolhido para a realização de uma sessão de esclarecimento acerca de dois projetos relacionados com pequenos investimentos e atividades na área da exploração agrícola.

“Pequenos investimentos na transformação e comercialização de produtos agrícolas” e “Diversificação de atividades na exploração agrícola” foram os dois projetos falados na passada quarta-feira, dia 20 de junho, na sede da ADRAT. Esta atividade fez parte de um conjunto de sessões de esclarecimento que têm vindo a ser realizadas em outros concelhos do Alto Tâmega para que todas as pessoas tenham a oportunidade de ter acesso às mesmas.
Trata-se de dois avisos para candidaturas, no âmbito do PDR 2020 (Programa de Desenvolvimento Rural), abertas pela ADRAT para o território de intervenção desta associação: Boticas, Chaves, Montalegre, Valpaços e Vila Pouca de Aguiar. “O primeiro diz respeito a apoiar pessoas coletivas ou individuais que queiram comercializar determinados produtos e dotá-los de maior competitividade em questões de mercado. O segundo tem a ver com criar outras atividades dentro da exploração agrícola no sentido de aumentar o rendimento dos proprietários, seja atividades de turismo, de artesanato, etc., mas que vão além da exploração agrícola que permite aumentar rendimentos”, explicou António Montalvão Machado, secretário-geral da ADRAT.
Relativamente ao aviso “Pequenos investimentos na transformação e comercialização de produtos agrícolas”, são beneficiários projetos enquadrados em setores com uma CAE (Classificação das Atividades Económicas Portuguesas por Ramo de Atividade) na transformação e comercialização de produtos agrícolas; que demonstrem situação económica e financeira equilibrada, em termos de autonomia financeira; e que disponham de contabilidade atualizada e organizada de acordo com as especificações do Sistema Nacional de Contabilidade. Os apoios serão concedidos para um montante superior a 10 mil euros e inferior a 200 mil euros, sob a forma de subsídios não reembolsáveis até 35% do investimento elegível, podendo chegar aos 45% caso se trate de uma região menos desenvolvida.
As condições de acesso ao aviso “Diversificação de atividades na exploração agrícola” em termos de investimento são semelhantes ao anterior: os apoios serão concedidos em investimentos superiores a 10 mil euros e inferiores a 200 mil euros, no entanto, o incentivo não reembolsável vai até aos 40% das despesas elegíveis, passando o limite a ser de 50% sempre que existir a criação de postos de trabalho. Neste aviso são consideradas elegíveis as despesas relacionadas com elaboração de projetos; remodelação ou recuperação de construções; construções de pequena escala; aquisição de equipamentos; viaturas indispensáveis à boa execução do projeto; e outro tipo de despesas associadas a investimentos intangíveis. Por sua vez, os custos de manutenção decorrentes do uso normal das instalações, não são elegíveis.
No caso do primeiro aviso, as candidaturas estão abertas até ao dia 15 de julho, e no caso do segundo até ao final do mês de agosto. Toda a informação relativa às candidaturas está disponível no site do PDR 2020 (http://www.pdr-2020.pt/) e no site da ADRAT (http://adrat.pt/).

Chaves é o concelho da região com menos candidaturas a estes projetos

António Montalvão Machado foi quem fez a apresentação destes dois projetos em Chaves, tem também percorrido os outros concelhos da área de intervenção da ADRAT para a realização das sessões de esclarecimento, e fez saber que o concelho de Chaves, o mais populoso dos cinco, é o concelho com menos projetos. “Factualmente Chaves é o município que tem menos candidaturas nestes programas. Não sei se advém de alguma desorganização no setor agrícola do concelho. Ou pode até também ter alguma culpa da nossa parte, ser a nossa incapacidade para dinamizar e promover as iniciativas que discutimos dentro do concelho. O que é estranho, porque isso não acontece nos outros concelhos”, referiu, acrescentando que este facto, na sua opinião, é “muito preocupante porque Chaves, atendendo que é o município com mais população, é a principal cidade e o principal núcleo populacional deveria ter a principal dinâmica de todo o território do Alto Tâmega”.
No final da sessão, foi aberto um espaço a questões no qual os presentes puderam expor as suas dúvidas.
Esta sessão de esclarecimento foi organizada pela ADRAT, com o apoio do município de Chaves.

Maura Teixeira

loading...
Share.

1 comentário

  1. E o os cogumelos????
    O enorme projecto dos cogumelos como sé encontra, passei na zona industrial de Outeiro Seco e não vi nada o que foi feito desse grande empreendimento e grande projecto????

Deixe Comentário