A Comissão Municipal de Defesa da Floresta de Ribeira de Pena reuniu, no dia 4 de julho, na Casa da Cultura – Museu da Escola, com vista a aprovar a Plano Operacional Municipal 2019.

Dada a dimensão da área florestal do concelho de Ribeira de Pena, segundo o município, o planeamento assume-se como “um processo determinante para, em caso de incêndio, alocar de forma eficiente os recursos existentes às diferentes operações de proteção de pessoas e bens e defesa dos espaços florestais”.

O Plano Operacional Municipal define a estratégia de prevenção e combate dos incêndios florestais e regula a articulação entre entidades e organismos municipais e distritais.

Na reunião da estiveram representados o município de Ribeira de Pena, a Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega, a Associação Florestal de Ribeira de Pena, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, os Bombeiros de Ribeira de Pena, os Bombeiros de Cerva, a GNR através do Posto Territorial e do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro, a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, o Conselho Diretivo de Melhe, a Junta de Freguesia de Canedo, a Junta de Freguesia de Cerva e Limões e a Junta de Freguesia de Salvador e Santo Aleixo de Além Tâmega.

Aprovado Plano Municipal de Emergência e de Proteção Civil

A Comissão Municipal de Proteção Civil aprovou, por unanimidade, o Plano Municipal de Emergência e de Proteção Civil de Ribeira de Pena.

Este instrumento de planeamento define “o modo de atuação dos vários organismos, serviços e estruturas a empenhar numa situação de acidente grave ou catástrofe com vista a minimizar as consequências, salvaguardando a segurança da população e a proteção de bens e do ambiente”, revela a Câmara de Ribeira de Pena.

O plano vai ser agora submetido à aprovação da Assembleia Municipal e da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

 

loading...
Share.

Deixe Comentário