A equipa da comissão de Mototurismo da Federação de Motociclismo de Portugal voltou à estrada para fazer o reconhecimento do percurso do 22º Portugal de Lés-a-Lés que acontece de 1 a 4 de outubro.

A edição deste ano será realizada pela primeira vez no início do outono e não em plena primavera, devido à crise sanitária que afetou todo o Mundo. De Lagos a Chaves, com paragens em Évora e na Guarda, os participantes da grande maratona podem ter a certeza de encontrar muitas curvas e poucas retas.

“Acrescido prazer de condução em trajeto com estradas de bom piso e paisagens intensas reforça a certeza de que a travessia do país voltará a surpreender todos quantos ousarem participar”, garante a organização.

Será mais uma edição plena de estreias e novidades, com a visita a muitos locais onde a caravana nunca tinha ido e outros que nunca foram cumpridos no sentido sul-norte. E também com uma saudável novidade para os verdadeiros mototuristas, com os passeios pedestres no Passeio de Abertura, em Lagos, verdadeiro ex-líbris algarvio, bem como no centro histórico de Évora, no final da 1ª etapa. E se no caso de Lagos será, por exemplo, a melhor forma de descobrir os novos passadiços que permite ter uma visão diferente da Ponta da Piedade, já em Évora é forma de tornear as limitações impostas pelos sentidos de trânsito sem perder pitada dos inúmeros monumentos, mas também, lojas e esplanadas ao longo das típicas ruas brancas e amarelas. Final festivo em redor do Templo de Diana, Praça do Giraldo e Sé Catedral de Évora após uma etapa curta que inclui, entre muitos outros pontos de interesse, uma subida diferente e castiça pela serra de Monchique, as estreias da Barragem de Santa Clara, das Minas de Aljustrel, do interior de vilas típicas alentejanas e Santuário de Nossa Senhora de Aires.

Bem mais exigente, a 2ª etapa oferecerá momentos de particular deslumbre através dos concelhos de Avis e Gavião, com muitos montados antigos a suceder aos olivais mais a sul, ou na curiosa gruta de 200 metros onde a Ribeira de Sôr se “sume” de forma misteriosa. Momento particularmente simbólico deste dia será a paragem em Tinalhas, Castelo Branco, onde está edificado memorial granítico em homenagem que abarca S. Rafael, o Padre Zé Fernando, motoclubes e federação. Depois, tempo para máxima diversão entre soberbas paisagens, começando na Serra da Estrela, galgando montanhas e grandes vales, com horizontes a perder de vista, até ao centro histórico da Guarda, com final diante dos Paços do Concelho, ainda com luz solar. É que tudo foi bem estudado para compensar o menor número de horas de sol de outubro em comparação com o solstício de verão, data habitual do Lés-a-Lés. As etapas terão de ser dinâmicas e os participantes não poderão desperdiçar tempo precioso, sendo mais importante do que nunca rolar em equipas de dois e evitar os aglomerados na estrada.

Mas, como em qualquer bom livro ou filme que se preze, o melhor está guardado para o final, com uma 3.ª etapa que é verdadeira “cereja no topo do bolo”. E porquê? Sem falar nas fabulosas estradas, de cobertura impecável e curvas com fartura, imaginem-se as paisagens arrebatadoras dos vales do Côa, do Águeda, do Douro Internacional, da Ribeira de Mosteiros ou do Sabor… Mas imagine-se também a carismática cidade de Pinhel com toda a sua monumentalidade, ou a travessia do concelho de Macedo de Cavaleiros através de azinhais e carvalhais, indo à Barragem do Azibo e calcorreando os meandros da aldeia de Podence, colorida com a alegria dos Caretos que brincaram ao Carnaval em 2020 pela primeira vez com o estatuto de Património da Humanidade. E para final em festa, a travessia dos rios Rabaçal, Tuela, Mente e Moisés, bem perto da fronteira com Espanha, antes de descer à veiga de Chaves, cidade que receberá o final do evento no seu bem cuidado centro histórico e parque termal, diante do Tâmega.

Final em festa antes do regresso a casa, aproveitando o feriado da Implantação da República, em desejado regresso ao tranquilo e aprazível interior do País depois da viagem pelo Litoral em 2019, com percurso, ainda e sempre, afastado das autoestradas, SCUT’s, Itinerários Principais ou Secundários. E que será apresentado com maior pormenor ao longo dos próximos tempos na página oficial do Portugal de Lés-a-Lés no Facebook, aguçando o apetite para a grande aventura, estando o regulamento disponível em www.les-a-les.com ou em www.fmp.pt, sites onde continua a ser possível efetuar a inscrição.

loading...
Share.

Deixe Comentário