Dias 1, 2 e 3 de setembro realiza-se em Vilar de Perdizes, concelho de Montalegre, mais uma edição do Congresso de Medicina Popular, uma tradição que cumpre este ano o seu 31º aniversário.

A abertura do congresso será na sexta-feira, dia 1, às 15h, e contará com a presença do Padre Fontes, figura central deste evento, de Orlando Alves, presidente da Câmara Municipal de Montalegre, e de João Gonçalves dos Santos, presidente da União de Freguesias de Vilar de Perdizes e Meixide. O resto da tarde e noite será preenchido por palestras e haverá ainda a apresentação do livro “A Curandeira da Aveleda”, de Santiago da Aveleda, e com a apresentação feira pelo Padre João Miguel Dias.

No sábado o dia começará cedo com palestras e às 10h30 haverá a rota histórica pela aldeia. Durante a tarde e noite continuarão as conferências. Ainda neste dia, destaque para o concerto da Banda Unión Musical de Allariz, Espanha, às 21h, e para a realização da Queimada, às 23h30, pelo Padre Fontes.

No domingo de manhã decorrerá missa de homenagem ao Dr. João Sanches e a participantes do Congresso que já faleceram. Das 11h às 17h mais palestras relacionadas com a medicina popular preencherão o dia e o encerramento será feito pelo Padre Fontes e outros moderadores e conferencistas.

Para além das conferências, haverá, tal como em anos anteriores, expositores vindos de vários pontos do país, em torno do edifício da Escola Primária de Vilar de Perdizes, nos quais se poderão encontrar chás, ervas medicinais, entre outros produtos ligados ao misticismo, à medicina popular, e também um expositor de artesanato.

Orlando Alves explica o segredo para 31 anos de Congresso de Medicina Popular: “É, acima de tudo, o charme do Padre Fontes. Fui daqueles que sempre disse que o Congresso acabaria quando o seu mentor, digamos, entregasse a alma ao criador, porque todos temos de fazê-lo. A partir deste ano, em que eu vejo o senhor Padre António Joaquim e a equipa de jovens de Vilar de Perdizes envolvidos e a agarrar este projeto com muito entusiasmo, e também com o envolvimento cada vez mais empenhado e categorizado da autarquia e da junta de freguesia, eu já não tenho dúvidas nenhumas que o Congresso celebrando este ano o 31º aniversário tem ainda um futuro muito risonho à sua frente”.

O Padre António Joaquim é pároco de Vilar de Perdizes desde 2014 e desde essa altura que está envolvido na organização do Congresso, assumindo, este ano, um papel mais ativo: “Acho que o congresso de Medicina Popular, que já vai na sua trigésima primeira edição, tem um nome e tem uma marca em Vilar de Perdizes e eu como padre de Vilar de Perdizes claro que me vou importar com as atividades da paróquia. Não enquanto paróquia, obviamente, porque não é uma procissão de velas, mas é um fim de semana totalmente preenchido com saberes populares”.

Este Congresso esteve, ao longo dos anos, muito ligado ao misticismo, ao espiritismo, à superstição, às bruxas, aos videntes. O Padre António Joaquim aceita tudo isto, contudo, acredita que deve ser incluído no Congresso tudo o que contribua para o bem estar da pessoa, para melhorar a sua condição, desde a música, até à religião. “Vamos tentar fazer com que Vilar de Perdizes tenha um Congresso de Medicina. E na medicina inclui-se o popular, inclui-se a medicina convencional, incluem-se, com certeza, umas rezas. Porque a medicina popular começa com umas rezas, umas mezinhas, que algumas coisas eram verdade, os princípios ativos das mezinhas estavam lá, mas a reza não tem outro poder senão o poder que a pessoa lhe dá. A reza não é mais do que a cura que a pessoa recebe e que acaba por ter em si mesmo potencialidade”, sublinha.

Deste modo, na edição deste ano quem estiver interessado, para além dos temas já habituais deste evento, poderá assistir a palestras sobre haloterapia (terapia do sal), ou sobre musicoterapia, e até sobre os riscos do consumo não racional de plantas medicinais.

Orlando Alves acredita que desta forma o Congresso tem “um futuro muito promissor e risonho”.

 

Maura Teixeira

PROGRAMA

Sexta-feira | 1 setembro

15h00 – Abertura do XXXI Congresso de Medicina Popular

– Visita aos stands e exposição de plantas medicinais | Escola de Vilar de Perdizes

– Abertura do evento | Adriana Henriques

Padre Fontes – Mentor

Orlando Alves – Presidente da Câmara Municipal de Montalegre

João Santos – Presidente da União de Freguesias de Vilar de Perdizes e Meixide

16h00 às 19h00

Raquel Dores | “A Aprendizagem e as Formas de Construção Social da Medicina Popular: Explicação Sociológica para a Manutenção destas Tradições Populares até Hoje”

Joana Carvalho | Crenças e superstições – olhar psicológico

João Azenha | Festas de São Sebastião em Barroso

Apresentação do trabalho de Barroso da Fonte | D. Afonso Henriques, Pio, Beato e Santo

21h00 às 23h00

Maria da Graça Campos | Riscos do consumo não racional de plantas medicinais

Guilhermina Marques | Ganoderma – o fungo da longevidade. Propriedades e precauções

Apresentação do livro “A curandeira da Aveleda”, de Santiago da Aveleda, por João Miguel Dias

 

 

Sábado | 2 setembro

09h30 às 12h30

Moderador – José Carlos

Sara Repolho | Os recursos utilizados na procura de saúde: resultados de investigação

Diniz Gomes | Musicoterapia: a participação musical como forma de terapia

Ana Luísa Monteiro | A barrosã e o apego à sua terra

10h30

Rota histórica da aldeia

Guias: Padre Fontes e Domingos Barros

15h00 às 19h00

Moderador – José Carlos

Jorge Quintela | A saúde como uma forma de estar na vida

Fernando Magdalena | Como curar la depresion com la medicina natural

Delfim Monteiro | A Medicina popular e o tratamento de doenças

Casimiro Ramos | Medicina popular – as crenças

(Apresentação do livro – Tradição e uso da erva da arruda)

Adília Fernandes | Deusas, bruxas e místicas – A questão do poder feminino

Barroso da Fonte | A saga da santidade de Afonso Henriques

18h00 

Chegada da Banda Unión Musical de Allariz

21h00 

Concerto da Banda Unión Musical de Allariz

22h00 às 23h00

Moderador – Barroso da Fonte

Sandra Veiga | A comunidade na regulação psico-emocional individual

Hélio Simões | Práticas de cura com a água

Vitor Sepodes | Shiatsu Ti-Na – O maravilhoso efeito das nossas mãos.

Catarina Sanches e outros testemunhos de homenagem a João Sanches

23h30 

Queimada esconjurada pelo Padre Fontes

– Teatro | Filandorra

– Fanfarra Kaustica

 

 

Domingo | 3 setembro

10h00 

Missa – Homenagem a João Sanches e participantes falecidos

11h00 às 13h00

Moderador – Graça Martins

Luís Tarujo | Tratar males de amor e outras maleitas. Médicos e curandeiros no teatro de cordel português de setecentos

Nina Leconte | Haloterapia

Mestre Alves | O esotérico e o oculto no Século XXI

15h00 às 17h00

Moderador – Graça Martins

Valter Serra | Terapia da dor e biocuântica energética aplicada

Temas Livres (após inscrição e aprovação pelo secretariado)

Encerramento

Conclusão e análise do Congresso pelo Padre Fontes, moderadores e relatores.

17h30 

A função do pão na saúde – Adriana Henriques – Forno da aldeia

Lanche convívio

Share.

Deixe Comentário