O livro “Valpaços e o Escutismo – Trilhos de gerações”, da autoria de António Escudeiro, foi apresentado no passado dia 18 de agosto no Pavilhão Multiusos de Valpaços.

Patrícia Doutel, convidada do escritor, abriu a cerimónia de apresentação do livro com a declamação do poema “Ser Escuteiro é ser Feliz”.
Amílcar Almeida, presidente da Câmara Municipal de Valpaços, lamentou não ter a oportunidade de frequentar o movimento escutista, contudo, disse sentir-se parte do Agrupamento 392 por acompanhá-lo desde que assumiu funções no município, e afirmou ver “o movimento escutista também como uma verdadeira escola de cidadania, onde se observam valores de salvaguarda e preservação ambiental, do viver em sociedade, do apoio aos mais necessitados, aos mais excluídos e da tolerância”.
De acordo com o site da autarquia valpacense, “António Escudeiro, Chefe do Agrupamento de Escuteiros de Valpaços, lança, assim, um livro sobre a história do escutismo em Valpaços, com o apoio do Município Valpacense, e conta em primeira mão toda a história e o trajeto do Agrupamento 392”.
“O escutismo é uma família para quem entenda o verdadeiro significado do que é ser escuteiro”, afirmou o autor.
Da mesa fez também parte o ex-escuteiro e artista Sousa Maia, que foi quem apresentou o livro, e de destacar na plateia a presença do chefe regional do Corpo Nacional de Escutas de Vila Real, José Pires.
O livro “Valpaços e o Escutismo – Trilhos de Gerações” pode ser adquirido na sede de escuteiros do Agrupamento 392 – Valpaços e, posteriormente, na Igreja Matriz de Valpaços. A receita das vendas irá reverter na totalidade para o agrupamento valpacense.

loading...
Share.

Deixe Comentário