Na sequência de uma candidatura a fundos comunitários europeus, a Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, em Chaves, tem vindo a desenvolver um projeto relacionado com a dinamização do centro histórico da cidade flaviense. A recriação da Lenda da Moura da Ponte de Chaves está inserida nesse projeto.

Com o intuito de poder promover e dinamizar o centro histórico de Chaves, a candidatura aos fundos do programa NORTE 2020 pela Junta de Freguesia de Santa Maria Maior aconteceu no ano de 2016, tendo sido aprovada no final do ano passado. Este é um acontecimento inédito no distrito de Vila Real. Nunca antes uma junta de freguesia tinha visto aprovada uma candidatura a fundos comunitários, algo que muito orgulha Hugo Silva, presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior. “Foi um projeto muito ambicioso […] A nossa destreza também nos levou a efetuar esta candidatura, e fomos galardoados, por assim dizer, pela nossa iniciativa. Temos neste momento uma clara oportunidade de desenvolver, de poder mostrar o que de melhor temos, e cativar pessoas a virem a Chaves conhecer a nossa cidade”. Esta candidatura foi aprovada com o valor de 226 mil euros.
Neste sentido, esta Junta de Freguesia tem vindo a desenvolver o projeto “Ligações Virtuosas no Centro Histórico de Chaves”, que conta já com uma série de ações planeadas, desde um percurso de orientação ao longo das ruas do centro histórico da cidade, para residentes e turistas, no qual irão poder observar obras de artistas plásticos que retratarão vivências da população da cidade; um percurso pedestre acessível a todos, entre a área que rodeia a Ponte Romana e o Museu de Arte Contemporânea que “terá um conjunto de funcionalidades que vão permitir que seja um produto diferenciador na medida em que será uma simbiose perfeita entre a natureza e a arte”, explicou na passada terça-feira, dia 12, Hugo Silva, na apresentação do projeto à comunicação social, revelando também que está a ser desenvolvida uma aplicação móvel para que as pessoas possam ter acesso ao centro histórico e também à gastronomia da cidade de uma forma mais interativa; e ainda uma atividade relacionada com a Lenda da Moura da Ponte.
Relativamente a esta última ação, esta está dividida em três fases. A primeira prendeu-se com o lançamento de um livro com ilustrações da história da Moura Encantada. Este é um livro acessível a todo o tipo de públicos, uma vez que conta também com uma versão áudio, e com uma versão em linguagem gestual. “Esta foi uma preocupação essencial que nos norteou do início ao fim do projeto”, destacou o presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior.
A segunda fase é a que está neste momento a decorrer e que envolve as crianças do pré-escolar e da primária de todo o concelho de Chaves. Foi pedido aos alunos que desenhassem a lenda tal como a entendiam. Estes desenhos estarão, mais tarde, expostos em meia centena de árvores na zona das Caldas de Chaves.
A terceira e última fase decorrerá no dia 8 de julho, estando por isso incluída no programa das Festas da Cidade. “Será, não só, uma projeção de vídeo mapping nos arcos da Ponte Romana, mas também um espetáculo dentro do próprio rio. Ou seja, vai ser instalado um palco, vamos ter diferentes grupos de cenografia a fazer um espetáculo de luz e som fantástico e esperamos, efetivamente, que seja o primeiro de muitos espetáculos na nossa cidade e que seja uma lenda que ganhe vida”, referiu Hugo Silva.
Para este presidente de junta as expetativas estão muito elevadas, esperando a adesão de pessoas não só do concelho flaviense, mas também dos concelhos vizinhos, da região do Porto e também de Espanha: “A expetativa é alta. O espetáculo, no nosso entender, é um espetáculo único, moderno e esperamos efetivamente que, primeiro, haja uma adesão em massa, e que depois possam aproveitar um espetáculo único”.
Este é um evento organizado pela Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, com o apoio do município de Chaves.

Maura Teixeira

loading...
Share.

Deixe Comentário