Mais de uma dezena de lotes do Parque Industrial de Chaves encontram-se para venda ou arrendamento pelo preço máximo de um euro por metro quadrado. Alguns empresários, nomeadamente galegos, demonstraram já interesse em investir na cidade flaviense.

O Parque Industrial de Chaves é composto pela Plataforma Logística, pelo Parque de Atividades de Chaves e pelo Mercado Abastecedor.
“No passado afirmei que era importante para o município que a Câmara Municipal utilizasse adequadamente as infraestruturas municipais e que pudesse também ter uma estratégia relativamente às mesmas que podiam ser utilizadas na promoção e na afirmação de Chaves enquanto destino e enquanto território atrativo para o investimento”, relembrou Nuno Vaz, presidente da Câmara Municipal de Chaves.
Para o autarca, a localização deste parque é um dos seus pontos fortes: perto da fronteira, junto ao acesso a uma autoestrada “que faz a ligação ao centro da Europa, a um aeroporto e a um porto. Tem uma localização excecional para a colocação de algumas empresas em que o elemento importante é o transporte. Nós sabemos que muitas empresas têm mercados externos, e, portanto, a componente do custo do transporte é muito relevante”.
Os doze lotes têm um custo máximo de um euro por metro quadrado, e têm sido vários os investidores a dar conta do interesse em instalar as suas empresas naquele local. Comparativamente a todos os custos que uma atividade industrial acarreta, este preço pelo terreno é visto pelo autarca como um valor “meramente residual”.
“Ao mesmo tempo, existem também alguns atrativos fiscais porque questões que têm a ver com impostos relacionados com este tipo de operação, seja na compra do terreno, seja depois no pagamento do IMI, seja também no que diz respeito ao licenciamento da construção, podem ser muito diminuídos. Essas taxas podem ser muito reduzidas desde que este projeto também possa merecer o selo de projeto de interesse municipal”, sublinhou.
Outro aspeto realçado pelo presidente da autarquia flaviense é a existência de uma Escola Profissional e de um Centro de Formação na cidade: “Isto é muito importante porque significa que há uma capacidade relevante de adequação de mão de obra àquilo que sejam as exigências dessa própria atividade industrial. E com certeza que havendo planificação adequada nós podemos naturalmente fazer alguma formação específica que possa adequar a mão de obra local ou regional, do Alto Tâmega àquilo que são as necessidades destes próprios investidores”.
Os interessados na compra ou arrendamento de um dos lotes disponíveis poderão entregar a sua proposta na Secção de Expediente Geral da Câmara Municipal de Chaves, ou através de correio registado. Todas as propostas serão avaliadas mediante os seguintes critérios: viabilidade económico-financeira do projeto de investimento; inovação: equipamentos, processos e produtos/serviços; recursos humanos: manutenção/criação de postos de trabalho; impacte ambiental; contratos/protocolos com fornecedores e clientes, evolução prevista e dimensão esperada; forma de ocupação do lote (incluindo o logradouro); credibilidade do projeto; e avaliação global do projeto.

Maura Teixeira

loading...
Share.

Deixe Comentário