Música, teatro, dança e alguma comédia à mistura foram os ingredientes que marcaram o 38º aniversário do TEF.

Foi com uma mão cheia de representações que o Teatro Experimental Flaviense (TEF) brindou no sábado à noite, dia 20, as dezenas de pessoas que se juntaram à celebração dos 38 anos de vida do grupo cultural.

As crianças do Atelier de Teatro foram as primeiras a subir ao palco e a demonstrar que também têm talento no mundo da dança. A peça “Teatro às 3 Pancadas” de António Torrado veio logo a seguir, seguindo-se a atuação da banda When The Clouds Turn Red, que regressaria ao palco ainda mais duas vezes nessa noite. Pelo meio iam surgindo pequenos vídeos, produzidos pela equipa do TEF, que deixavam antever algumas surpresas destinadas para aquela noite e ainda outro com mensagens de parabéns das várias pessoas que trabalham e apoiam o TEF.

O aniversário contou ainda com o “Pedido de Casamento”, inserido na peça “Bailado Russo”, de Anton Tchekhov e com um excerto da peça de teatro de Maria Mantela, protagonizada pelo grupo de Teatro para Todos do TEF. A noite terminou com um momento de poesia declamada por Jorge Medeiros e acompanhado pela banda When The Clouds Turn Red.

O espetáculo de variedades foi conduzido de forma bem humorada por Paulo Bianchi que por diversas vezes pôs a plateia a rir.
Ao jornal A Voz de Chaves o presidente do TEF disse estar bastante satisfeito pelo elevado número de flavienses presentes na festa de aniversário.

“O TEF é cada vez mais reconhecido pelas pessoas, tem cada vez mais participantes nas atividades que desenvolve e penso que nesta noite, com a diversidade de peças que apresentamos, todos saíram satisfeitos”. Este é o trabalho que temos em mãos e é também o trabalho que temos realizado”, disse Rufino Martins.
Nestes últimos anos o TEF conseguiu reinventar-se e neste momento desenvolve várias atividades não só na área da cultura como também na área social, como comprova o galardão recentemente atribuído pelo Inatel.
Para o mesmo responsável, pertencer ao TEF “é fazer-se aquilo de que se gosta, fazer as outras pessoas felizes” e estar sempre presente, tanto na cidade de Chaves, como em outros locais onde seja necessário, como será o caso do Carnaval de Vilarandelo deste ano.

Presente no evento, o presidente da Câmara de Chaves fez questão de deixar uma palavra de apreço a todas as pessoas que todos os dias fazem daquele espaço “uma grande casa de cultura”.
“Todo o esforço que fizeram valeu a pena, […] esta é uma instituição que é nossa, é de Chaves, é flaviense e portanto temos que a acarinhar”, sublinhou Nuno Vaz, adiantando que a autarquia iria continuar a olhar para o TEF “como um parceiro fundamental no processo de afirmação de Chaves no contexto cultural”.
No final do encontro, todos os convidados tiveram direito a uma fatia de bolo de aniversário.

Cátia Portela

 

loading...
Share.

Deixe Comentário