A Orquestra Simpatia subiu, no sábado passado, dia 28, ao palco do Cine Teatro Bento Martins, em Chaves, para um concerto de apresentação. O coletivo, dirigido pelo maestro Alfredo Duarte, não desiludiu e levou o público numa viagem até ao passado, onde os anos 50 e 60 estiveram em destaque.

Durante mais de duas horas, os músicos da Orquestra Simpatia interpretaram com grande habilidade temas como “Tango dos Namorados”, “Salsa das Amoreiras”, “Naice”, tema original orquestrado pelo maestro Alfredo Duarte, e “Olhos Castanhos”, composto por Francisco José na década de 50, que juntou ao grupo a voz singular do cantor Alberto Ferry. O concerto terminou com a “Marcha de Chaves”, uma das músicas mais emblemáticas da cidade, e que foi acompanhada, do princípio ao fim, pelas várias pessoas presentes no espaço cultural.
O público foi sempre acompanhando, umas vezes com a letra da música outras vezes simplesmente com as palmas.

Antes do concerto terminar, ainda houve tempo para algumas surpresas. O responsável pela banda musical de Celanova, Espanha, subiu ao palco para homenagear o grupo flaviense com uma placa comemorativa.
Entretanto, a madrinha da Orquestra Simpatia, a deputada Manuela Tender, subiu também ao palco para elogiar e agradecer aos músicos pelo “fantástico concerto de apresentação”, fazendo votos de que o grupo continue a atuar e a animar a região transmontana.

Por fim, foi a vez do presidente da Câmara de Chaves, António Cabeleira, deixar algumas palavras de apreço pela iniciativa e garantir a “presença da Orquestra Simpatia na agenda cultural da cidade”, dando assim “asas” para que o projeto musical possa continuar a crescer.

Cátia Portela

Share.

Deixe Comentário