O Grupo Cultural Aquae Flaviae apresentou publicamente, na passada sexta-feira, dia 10, o número 53 da Revista Aquae Flaviae. Trata-se de uma edição que integra trabalhos relativos às temáticas arqueológicas do Alto Tâmega, que abordam as culturas e modos de vida do passado do concelho, a partir de estudos e análises aos vestígios materiais e imateriais encontrados.

A apresentação decorreu na Biblioteca Municipal, estando presentes o presidente da Câmara Municipal, António Cabeleira, a presidente da Direção do Grupo Cultural Aquae Flaviae, Isabel Viçoso, e os autores Manuel Carvalho Martins e João Adérito Moutinho, para além de outras personalidades civis e militares locais.
Este último número da Revista Aquae Flaviae abre com o tema “Aquae Flaviae (Chaves), Capital de la Gallaecia Meridional Interior”, da autoria de António Rodriguez Colmenero, conceituado professor universitário, que dirigiu numerosos projetos de investigação, nacionais e internacionais, nomeadamente no concelho de Chaves.

“Mairos (Chaves) também foi colonizado pelos gregos?”, de Manuel José Carvalho Martins, distinto investigador sobre a Pré-História e História Antiga, e “Divindades de origem grega ou oriental na região de Aquae Flaviae”, de João Adérito Moutinho, engenheiro de formação e entusiasta do estudo das raízes ancestrais do território flaviense e barrosão, foram também duas das temáticas abordadas nesta publicação.
A revista finaliza com um quarto artigo, “A cerca de Ribas” (Valpaços), de Adérito Medeiros Freitas, consagrado autor de múltiplos estudos e trabalhos de investigação arqueológica.

O Grupo Cultural Aquae Flaviae é uma associação cultural que pretende, entre outros objetivos, divulgar trabalhos que contribuam para um melhor conhecimento das raízes e do percurso histórico-cultural da região, através da publicação das suas revistas.

Redação/CM Chaves

Share.

Deixe Comentário