Teve início no passado dia 2, e decorreu até dia 4, domingo, mais uma edição da feira “Sabores de Chaves”. Este ano, para além do já habitual espaço de realização do certame (o pavilhão Municipal), a animação da Feira foi alargada ao pavilhão Expoflávia.

A abertura do certame no pavilhão Municipal, espaço de venda dos produtos, decorreu na sexta-feira às 14h, arrancando com o 10º Encontro Escolar de “Danças e Cantares Tradicionais”, que todos os anos reúne alunos de várias escolas do concelho. No final procedeu-se à entrega dos certificados de participação pelas mãos do presidente da Câmara Municipal de Chaves, Nuno Vaz, que, num breve discurso dirigido a todos os presentes, deu como oficialmente aberta a Feira.
Posteriormente, o presidente da Câmara Municipal cumprimentou individualmente todos os produtores, bem como os expositores presentes no espaço dedicado ao vestuário e artesanato.
Para além dos autarcas e representantes dos vários municípios que compõem o Alto Tâmega, foram muitas as entidades civis, militares e religiosas que fizeram questão de marcar presença na abertura de mais uma edição da “Sabores de Chaves”.
Às 16h decorreu o primeiro showcooking do fim de semana pela minichef Kika_Costa e o nutricionista Filipe Ferreira.
A grande novidade deste ano foi a inclusão do pavilhão Expoflávia nesta Feira. A animação da “Sabores de Chaves” foi alargada a este espaço e na noite de sexta-feira o primeiro a subir ao palco foi o Quarteto de Saxofones da Academia de Artes de Chaves, e, logo de seguida, foi a vez do cabeça de cartaz da noite, Marco Rodrigues, que proporcionou uma noite de fado.
No sábado as portas do pavilhão Municipal abriram às 10h. Neste dia destaque para as atuações do Rancho Folclórico dos Ases da Madalena e do Rancho Folclórico do Grupo Cultural da Serra do Brunheiro, às 14h30 e às 17h, respetivamente. Às 18h houve a realização de Showcooking por Leonel Fernandes e Cátia Goarmon.
A noite de música no pavilhão Expoflávia abriu às 21h por Ensemble de Percussão da Academia de Artes de Chaves, e depois, às 21h30, um concerto direcionado para os mais jovens pela banda pop portuguesa Átoa, que levou todo o pavilhão ao rubro.
No domingo, terceiro e último dia da Feira, as portas do pavilhão Municipal voltaram a abrir às 10h. Neste dia atuaram o Grupo Tradicional Alegres Tradições de Vilela do Tâmega, às 14h30, e às 17h foi a vez da atuação do Rancho Folclórico da Vila Medieval de Santo Estêvão. Durante a tarde decorreram três Showcooking: às 15h30 pela Escola Profissional de Chaves, às 16h30 por Senga Kasongo e às 18h foi a vez da minichef Kika_Costa e do nutricionista Filipe Ferreira regressarem ao pavilhão Municipal para a realização de mais uma demonstração culinária.
Durante os três dias, passaram pelo recinto da Feira milhares de pessoas, e o balanço que Nuno Vaz faz a este certame “é um balanço positivo, porque sentimos que foi um fim de semana intenso, houve muito fervilhar na cidade, naturalmente com uma incidência mais particular no pavilhão onde tínhamos os produtores de um conjunto de produtos que são singulares no nosso concelho e que são verdadeiramente os produtos estrela”.
Desde que tomou posse no passado mês de outubro, e sempre que o assunto é esta Feira, o autarca flaviense realça que o objetivo da mesma não é o de competir com outras feiras do fumeiro realizadas nos concelhos vizinhos. “Esta não é uma feira do fumeiro, é uma feira dos sabores. Na nossa perspetiva seria muito redutor concentrarmos tão só esta Feira num conjunto de produtos ligados ao porco. Chaves tem um conjunto de produtos e todos eles merecem um destaque. E, portanto, os ‘Sabores de Chaves’ não são mais do que o cabaz dos produtos de Chaves. Temos aqui naturalmente o presunto, temos tudo o que é fumeiro, temos também com uma grande expressão, e percebeu-se que havia um consumo muito grande, o Pastel, e também temos o Folar de Chaves. Também queremos dar nota que o vinho ganha espaço, relevância, e é um produto olhado cada vez mais com maior atenção. E é certo que também queríamos que neste espaço tivesse relevância aquilo que é a nossa capacidade maior no turismo, que são naturalmente as Termas”, explicou o edil.

Pavilhão Expoflávia incluído no certame

Com o objetivo de que quem visitasse a Feira e a cidade tivesse o interesse de ficar não só por um dia mas durante todo o fim de semana, o executivo camarário quis proporcionar eventos dedicados a todos os gostos e a todo o tipo de público. Uma vez que o pavilhão Municipal albergava todos os expositores da Feira, o espaço tornava-se exíguo para a realização de grandes concertos. Deste modo, a animação musical foi alargada ao pavilhão Expoflávia. “É verdade que era o certame dos Sabores, mas também quisemos que as pessoas tivessem experiências musicais. E, portanto, tivemos um espetáculo dedicado a um público mais tradicional, e ligado ao fado. Mas também quisemos propiciar uma experiência musical aos jovens, não só aos de idade, mas também aos jovens de espírito”, sublinhou Nuno Vaz. O pavilhão Expoflávia teve casa cheia em ambos os concertos.
Há muito que está prometida a construção de um novo pavilhão, sendo este também um dos objetivos deste executivo municipal. Contudo, a realização desta obra não será para já. “Neste momento, e tendo em atenção a situação financeira do município, não temos a capacidade de fazer aquilo que há muitos anos ambicionamos que é ter um parque de exposições e feiras verdadeiramente digno para fazer uma feira de Sabores absolutamente excecional com uma projeção não só regional, mas também nacional”.
O presidente da Câmara flaviense esteve presente nos três dias do evento e conversou com todos os produtores presentes. De um modo geral, “o sentimento que me foi passado pela parte dos produtores é um sentimento positivo de uma feira conseguida e, também na perspetiva deles, com um sentimento de terem realizado um bom negócio, e isso é muito importante para nós. Isto não quer dizer que as pessoas não tenham dito que queriam mais e que têm a ambição de que a Feira possa melhorar, não só em condições físicas, mas também em termos de captação e de atração de turistas”.
A “Sabores de Chaves” foi uma iniciativa organizada pelo município de Chaves e EHATB – Empreendimentos Hidroelétricos do Alto Tâmega e Barroso.

Maura Teixeira

 

Share.

Deixe Comentário