William e Matheus Pereira fundamentais, num jogo que teve recurso ao vídeo-árbitro em dois golos. Flavienses somaram a quinta vitória fora. O Desportivo de Chaves regressou às vitórias na Liga ao vencer no terreno do Feirense, subindo ao sexto lugar, num jogo decidido perto do fim por Matheus Pereira.
Com a lesão de última hora de Pedro Tiba, o técnico dos flavienses, Luís Castro, lançou em estreia absoluta o único reforço de inverno, Stephen Eustáquio, que fez o seu primeiro jogo no escalão máximo do futebol português. De resto, utilizou a equipa base das últimas partidas.
Os transmontanos defrontaram um adversário que vinha de duas derrotas consecutivas, e como é hábito na equipa de Luís Castro, tentou, e conseguiu, assumir a partida desde o início, tomando conta da posse de bola e iniciativa de jogo.
A primeira situação de perigo surgiu para a equipa da casa aos seis minutos, quando Tiago Silva libertou Hugo Seco na direita, e este tentou o chapéu a António Filipe, que saiu por cima.
Mas era a equipa de Chaves que estava melhor e o domínio intensificou-se até surgir o primeiro da partida.
Primeiro Eustáquio ficou perto de marcar após cruzamento de Matheus Pereira. Logo a seguir é Paulinho a cruzar para a área, mas ninguém consegue o desvio.
Mas aos 24 minutos a festa foi mesmo transmontana. Numa arrancada de Davidson, o extremo invadiu a área contrária e quando se preparava para rematar é desarmado, mas a bola fica para William que roda sobre o defesa e atira a contar.

Falhar e sofrer… com polémica

O Chaves continuou a dominar a partida, mesmo após chegar à vantagem, e aos 33 minutos falhou o segundo golo.
O avançado brasileiro William podia ter aumentado a sua contagem pessoal, mas não aproveitou o trabalho de Bressan, que o isolou perante Caio Secco, mas o atacante dominou mal e perdeu a oportunidade.
Logo a seguir, canto para o Feirense, bola na área flaviense, e… golo. Mas com muita polémica à mistura. O cabeceamento de Rocha foi defendido por António Filipe que deixou escapar a bola para cima da linha de golo, sacudindo-a depois.
O árbitro da partida, Rui Costa, recorreu ao vídeo-árbitro, e embora as imagens não tenham sido 100% esclarecedoras, foi dado golo para a equipa da casa.
Num final de primeira parte polémico, Rui Costa ainda teve de recorrer mais duas vezes ao vídeo-árbitro. Primeiro, o Feirense pediu mão na área do Chaves, e depois Davidson reclamou grande penalidade na área contrária, mas nas duas situações nada foi assinalado.
Nova ida ao VAR deu vitória

No reinício de jogo a partida esteve mais equilibrada, com o Feirense à procura de chegar à frente do marcador. Aos 49 minutos, João Silva teve mesmo o golo nos pés, mas atirou ao lado.
Até aos 60 minutos a formação de Santa Maria da Feira foi ameaçando a baliza de António Filipe, mas sem conseguir marcar.
O primeiro a responder nos transmontanos foi Domingos Duarte, numa subida à área contrária, onde cabeceou por cima. Depois, Matheus Pereira testou Caio Secco aos 67 minutos, num livre direto batido com força.
Era altura de ir ao banco de suplentes e começar o jogo das alterações. Luís Castro refrescou a frente de ataque, lançando Platiny na frente, mas foi ainda Davidson a criar perigo.
O extremo, lançado em velocidade por Matheus Pereira, apareceu na cara do guarda-redes adversário e atirou com o pé esquerdo, mas a bola embateu com estrondo na baliza do Feirense.
Já mais perto do fim, e já com Perdigão em campo, seria Matheus Pereira a ser decisivo. Numa jogada pela direita, o avançado brasileiro invadiu a área, atirou a contar, com a bola a sofrer um desvio e enganar Caio Secco. O árbitro teve de recorrer novamente ao VAR, mas em posição regular deu golo.

Diogo Caldas

loading...
Share.

Deixe Comentário