Após muito tempo afastado devido a lesão o flaviense Artur Chaves regressou às corridas de duas rodas com um 9º lugar na Prova de Abertura de Juniores, da Taça do Minho em Fafe. À Voz de Chaves garante estar recuperado e com vontade de regressar à forma que lhe permitiu ser Campeão Nacional de Cadetes e rei da montanha na Volta a Portugal de Cadetes em 2015, entre outros triunfos.

O ciclista de Chaves, ao serviço da Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel ficou a 14 segundos do vencedor, Pedro Teixeira, que venceu destacado o Prémio Cidade de Fafe, prova de abertura da época desportiva de ciclismo de estrada para a categoria de juniores pontuável para a Taça do Minho e que se realizou no passado sábado.

“Fiquei contente porque já vi que a forma não está muito má neste regresso à competição”, realçou Artur Chaves, contente com as boas sensações após mais de um ano afastado de provas oficiais.
Ainda a recuperar forma, o flaviense lembra que “a época é grande e não convém forçar tudo já no início”, mas sente-se “melhor do que esperava”. “Eu próprio tentei atacar e mudar o ritmo, o grupo depois partiu numa subida e por falta ritmo não arrisquei tanto quando houve uma fuga, pois não respondi. Ainda tentei entrar na fuga, mas nunca consegui”, descreveu sobre a corrida de Fafe.

Flaviense vai fazer segunda época de júnior

Uma lesão muscular numa perna fez perder a Artur Chaves o primeiro ano de juniores, e no regresso à competição o ciclista de Chaves protegeu-se um pouco.
“A sensação na bicicleta foi boa mas custou-me um pouco a mudança dos ritmos, sentia as pernas um pouco pesadas mas aguentei bem, foi apenas falta de competição. Esteve um ano parado, sem qualquer prova e foi mais complicado”, destacou.

Artur Chaves irá competir nas provas da Associação do Ciclismo do Minho e do Porto, na Taça de Portugal, na Volta a Portugal e mais algumas provas nacionais e quer ir evoluindo conforme recupera a forma.
“Quero andar sempre bem colocado a partir de agora e ir subindo de forma a partir daqui”, garante. O próximo compromisso é este fim-de-semana em Alcobaça e o objetivo é procurar novo top-10.
Com 18 anos e a frequentar o 12º ano, um calendário mais folgado na escola permite “treinar mais vezes à tarde, durante o dia, o que tem facilitado o regresso à competição”.

Diogo Caldas

Share.

Deixe Comentário