O atleta de Chaves, Manuel Melo, foi quarto classificado da Transportugal, prova de BTT que ligou Chaves a Sagres em oito dias consecutivos, e que juntou participantes de todo o mundo, tendo sido o mais jovem atleta a acabar e a ficar no cinco primeiros.

“Os objetivos desportivos definidos para esta prova foram superados. Fica a promessa de tentar numa próxima oportunidade atacar o primeiro lugar da mais dura prova de BTT de Portugal”, realçou o flaviense.
A classificação final deixou-lhe um suave amargo na boca, mas também feliz pelo desempenho desportivo de um simples, mas educado miúdo transmontano, que apareceu na prova desenhada para atletas com outro tipo de handicap e apoios, algo muito importante e essencial nestas provas. O Manuel Melo provou a muitos e a alguns atletas que o foram abordando durante e após a prova que ele com os meios que tem, conseguiu uma classificação e desempenho desportivo honroso.

“Alguns membros da organização da prova quiseram saber quem eu era, de onde era, quem me treinava, qual a equipa”, contou. O vencedor da prova, Daniël Hoedemaekers, da Holanda, realçou ainda a prestação do flaviense, questionando o que Manuel Melo pode fazer se tiver as condições ideais para a pratica da modalidade.
No total, participaram 86 atletas, chegando ao final 68, numa prova onde participaram além de portugueses, amantes de BTT dos Estados Unidos da América, Espanha, Canadá, Noruega, Brasil, Grã-Bretanha, Dinamarca, Holanda, México, Bélgica e Pólónia, entre outros.

Na luta pelo pódio até ao fim

Nas últimas quatro etapas, o flaviense esteve em lugar de pódio, acabou por descer um lugar, e lutou até ao último km por chegar ao terceiro lugar.

Ao quinto dia do Transportugal estava reservada uma etapa muito molhada, pois a noite e a manhã foram recheadas de bastante chuva, frio e vento. Uma etapa com o seu início em Castelo de Vide e a terminar em Évora – 153kms. O início da mesma, foi feito debaixo de uma chuva torrencial e com umas subidas muito técnicas, algo que é favorável ao Manuel Melo. Com o decorrer da mesma, foi-se formando um pequeno grupo para tentar reduzir o tempo de vantagem que o leader da prova tinha amealhado. Embora o grupo tenha trabalhado de uma forma exemplar, não foi o suficiente para fazer a diferença na classificação geral. O Manuel Melo nesta 5.ª etapa obteve um 6º lugar e manteve o seu 3.º lugar na classificação geral.

A 6.º etapa que ligava Évora a Albernoa – 101kms em Alentejo puro (enganem-se os que pensam que o Alentejo é só planícies), o início da etapa, tal como tinha sido a anterior foi feita debaixo de uma forte chuva, algo que condicionou um pouco o rolar das bicicletas em terreno empapado. Também aqui o Manuel Melo assumiu as despesas de impor um ritmo forte no grupo e foi ele a locomotiva em 90% do percorrido. Mostrou aos mais de 10 elementos que compunham o grupo, que o miúdo transmontano estava lá para mandar e não ser mandado. Numa etapa realizada em condições climatéricas tão diferentes, começando com um temporal e acabando com um sol radioso, a sua prestação foi excelente, terminando num 8º lugar na etapa e mantendo dessa forma o 3.º lugar na classificação geral.

Para a 7.ª etapa da prova estavam guardados 138kms que ligavam Albernoa a Monchique. Nesta etapa, tudo correu dentro da normalidade esperada, pois era aguardo um ataque por parte do 4.º classificado ao 3.º lugar, e assim foi, o atleta Sérgio Costa conseguiu no decorrer da etapa acompanhar o leader da prova e dessa forma obter um bom ritmo que lhe permitiu alcançar o 3.º lugar a uns escassos 1minuto 40segundos de vantagem sobre o Manuel Melo. Mesmo assim nesta etapa o Manuel Melo obteve o 3.º lugar na etapa, mas desceu uma posição na classificação geral.

Para o última e derradeira etapa (8) que ligava Monchique a Sagres – 95kms a tarefa do Manuel Melo teria de seria ‘herculana’, pois teria que recuperar a diferença na classificação geral (1:40), bem como o facto do 3.º classificado pelo handicap que tem sobre o Manuel Melo, saiu primeiro com uma diferença de cinco minutos (prova onde são atribuídos handicaps em função da idade). Ora sendo assim o Manuel Melo partiu para a etapa com a carne toda no assador, teria que recuperar a diferença dos 5 minutos e a diferença na classificação geral, pelo que teria que recuperar uns bons 7 minutos. Num percurso bastante rolante e com poucos kms para poder levar a efeito uma reviravolta na classificação, tudo tentou para sair desta prova com um lugar no pódio, mas infelizmente o atleta Sérgio Costa foi bastante regular na última etapa, mas mesmo assim o Manuel Melo consegui reduzir 2 minutos nos 7 que tinha no início da etapa. Na geral, o flaviense acabou com o 4º lugar.

Primeira metade da prova com dois pódios

Até quarta-feira, na primeira metade da corrida, o flaviense foi ganhando destaque. Na 1.º etapa com uma distância de 110kms que ligaram Chaves à Régua, o Manuel Melo obteve um 8.º lugar, colocando-o deste modo num bom lugar de ataque aos objectivos pessoais. Uma etapa inicial com bastante calor e algo rolante, características que não o favorecem muito, mas como etapa inicial, foi o mais indicado.

Para o início da 2.ª etapa a começar na Régua e terminar em Viseu, foram necessários percorrer os 90kms da mesma, para o Manuel Melo, confirmar o bom momento de forma e terminar a respectiva etapa num brilhante 5.º lugar e por conseguinte subir para 6.º lugar na classificação geral.

A 3.ª etapa, considerada pela maioria, como a etapa Rainha – 100kms, que ligaram Viseu a Penhas da Saúde (Serra da Estrela), o Manuel Melo fez uma exímia gestão de esforço, de tal forma, que obteve a sua melhor classificação de etapa até à data, obtendo um 3.º lugar e terminando com o mesmo tempo do 2.º classificado.
Uma agradável surpresa estava reservada para a 4.ª etapa desta prova. Iniciada nas Penhas da Saúde e terminada em Castelo de Vide, foram necessários percorrer 164kms da etapa para o Manuel Melo garantir o 2.º lugar na mesma e manter o 3.º lugar na classificação geral.

Diogo Caldas

Share.

Deixe Comentário