No passado dia 26 (domingo), no salão nobre da Universidade Sénior de Rotary de Chaves, foi apresentado o livro “VIVÊNCIAS de um cubano a la deriva”, da autoria de Eddy Rafael Egües Delgado.

O autor nasceu em Ciego de Ávila, Cuba, em 20-04-1969, tendo manifestado, desde pequeno, um grande interesse pelas Artes e Letras, nomeadamente a Música, Pintura e Literatura, gosto que herdou, segundo conta, dos seus pais e avós.
No entanto, foi na música que, bem cedo, o seu talento se revelou como instrumentista, tendo participado em festivais, programas de rádio e televisão no seu país.
O sonho de se tornar músico profissional nem sempre foi muito favorecido. Foram muitos e grandes os obstáculos que o Eddy Delgado teve que ultrapassar. A vida no seu torrão natal foi sempre rodeada das maiores carências e dificuldades exaustivamente reproduzidas nas páginas do livro que agora veio a lume. Apesar de tudo, conseguiu vencer como autodidacta, tornando-se um especialista em piano e guitarra.
Emigrou para Espanha, em 1996, à procura, como ele diz, do progresso e da liberdade. Passados dois anos, mudou-se para Portugal, já ligado a agrupamentos musicais. Conheceu então a sua esposa Sandrine e, embora vindos de origens diferentes, foi em Chaves que criaram e mantêm o seu lar.
Envolvidos na música, dominando as suas várias vertentes, ele resolve fazer uma incursão nas letras, com a publicação de um livro de poesia.
A capa do livro é preenchida com uma foto do autor, trajando à cubana e empunhando a sua guitarra, ferramenta e companheira da sua vida. O livro abre com vários agradecimentos, demonstração dos seus bons princípios e do seu apreço pela gratidão.
A obra, no seu todo, reproduz as “vivências” mais duras, mas também algumas agradáveis, de um homem à deriva, mas que acabou por atracar num cais que ama, mais livre, mais promissor e onde não lhe falta o apoio dos amigos.
Expressa-se num castelhano, mais ou menos acessível e, além disso, estrutura os versos na clássica quadra, em que a rima e a métrica não são de grande rigor ou exigência.
O poema mais extenso, relativo à sua autobiografia é uma espécie de narrativa que não sendo a típica odisseia de regresso à sua Ítaca, mas antes uma fuga em sentido contrário, tem o seu quê de épica ao transmitir a bravura da luta travada pelo autor na procura de uma vida melhor e da liberdade. Só razões muito fortes, de facto, obrigariam alguém a abandonar o seu berço e os seus entes mais queridos. Essa experiência de vida plasmada em algumas estrofes é bem a prova de que com uma vontade forte, muito trabalho e sacrifício é possível vencer as maiores provações e dificuldades da vida.
Nos seus poemas, o autor confessa-se agradecido ao Senhor e aborda com grande sentido humano, temas como a crítica ao regime cubano, o amor, a nostalgia, a crítica social, a busca de maior segurança e liberdade. A sua guitarra, companheira inseparável, não foi esquecida nos seus versos.
Músico talentoso, será que nasceu um novo poeta? Está de parabéns o Eddy, mas também a cidade de Chaves, que viu enriquecido o seu património artístico e cultural.

Armando Ruivo

loading...
Share.

Deixe Comentário