Autarcas de Boticas e Vila Pouca de Aguiar consideram que reivindicações sobre a reposição das travessias sobre o rio Tâmega estão a ser estudadas pela empresa construtora das barragens do Alto Tâmega, Iberdrola.

Por solicitação conjunta dos presidentes da Câmara de Boticas e de Vila Pouca de Aguiar, realizou-se na sexta-feira, dia 31 de julho, em Boticas, uma reunião que juntou à mesa os dois presidentes de câmara, Fernando Queiroga e Alberto Machado, respetivamente, representantes da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), entre os quais o vice-presidente do Conselho Diretivo, Pimenta Machado, da CCDR-N e da Iberdrola, para discussão sobre o ponto da situação relativa à reposição das travessias do Tâmega (Sobradelo-Capeludos e Veral-Monteiros), que ligam os concelhos de Boticas e Vila Pouca de Aguiar e serão afetadas com a construção da Barragem do Alto Tâmega.

O presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, mostrou-se satisfeito com os resultados da reunião, garantindo, no final, que “as pretensões dos dois concelhos estão bem encaminhadas”, reforçando ainda que “têm vindo a ser ultrapassadas algumas questões e problemas que foram levantados e acredito que, em breve, possamos dar notícias concretas e condizentes com as pretensões das populações e que vão ao encontro daquilo que sempre exigimos e pelo qual nos batemos”.

No encontro, Alberto Machado lembrou que apenas seriam aceites soluções que repusessem as respetivas travessias.   

“Eu continuo a acreditar que será possível atingir esse objetivo que repõe a justiça, e serão elementos que valorizam estes territórios”, referiu o autarca.

loading...
Share.

Deixe Comentário