A Voz de Chaves: A experiência que os flavienses já tinham após terem ganho na época passado foi decisiva para a final que parecia difícil de vencer?

Rafael Guerra: Sim, depois do primeiro golo com naturalidade a equipa veio ao de si e venceu. A equipa tem muita qualidade neste plantel e o objetivo é prepará-los para o próximo ano, para competirem no nacional grande parte deles. Após o golo conseguimos jogar mais à nossa imagem.

Esta é uma geração que se está a habituar a ganhar…
Formando a ganhar, forma-se melhor. Eles têm de saber também lidar com as derrotas, mas é melhor trabalhar sobre vitórias. Esta equipa foi campeã sub-13, venceu a taça sub-14 na época passada e temos jogadores da região, o que é natural pois os jovens querem estar no clube mais representativo de Trás-os-Montes.

É o primeiro título como treinador, é sempre especial?
Sim claro, é um momento especial. Obrigado aos atletas, ao staff, direção e coordenação, à minha família e namorada, e a quem me apoia em tudo.

Ainda estão na luta pelo distrital de iniciados, vão lutar pelo título?
Sim, estamos na luta, somos um grupo, quer treinadores quer jogadores, ambiciosos, e o que lhes digo é que temos de ser o máximo de competentes possíveis. Há duas jornadas estávamos a sete pontos, conseguimos aproximar da frente e estamos preparados para lutar. Não é o grande objetivo, pois queremos prepará-los o melhor possível para o ano, mas se pudermos conquistar o título, tanto melhor.

Esta é uma geração preparada para os desafios?
Eles estão-se a preparar. É um processo longo. Eles desde o início do ano não estão nem de perto nem de longe ao nível que estão agora, evoluíram todos eles muito, é um plantel muito extenso e dá-nos condições para trabalhar pois é um plantel muito homogéneo e por vezes há dificuldades em escolher os convocados. Todos evoluem pois os que jogam mais têm de trabalhar pois todos estão prontos para jogar e isso ajuda.

loading...
Share.

Deixe Comentário