Montalegre recebe equipa da Liga 2 no sábado, às 14:00, à procura de fazer mais história na Taça de Portugal. Histórico Vilar de Perdizes, pela primeira vez numa fase tão avançada da prova, visita o Fafe, do CP, às 11:00 de domingo.

A formação de Montalegre está num bom momento, com cinco vitórias consecutivas que deixam um bom pronúncio para a receção a uma formação do escalão profissional. Será capaz o Montalegre de fazer Taça?
O Vilar de Perdizes já eliminou uma equipa do CP, o Vianense, para chegar tão longe na Taça apenas na segunda participação na sua história. No terreno de uma das melhores equipas daquele escalão, os barrosões vão procurar surpreender.

A Voz de Chaves falou com os dois técnicos que lançaram os desafios que animam o fim de semana, com a particularidade de os barrosões serem os únicos representantes do Alto Tâmega na prova rainha do futebol português.

3 perguntas a Vítor Penedones, treinador do Vilar de Perdizes

A Voz de Chaves: Como está a equipa para a histórica visita ao Fafe?
Vítor Penedones: É um momento histórico, dado que passamos à terceira eliminatória que é um feito inédito no clube que representamos. Sentimos a alegria de representar uma região, Barroso e Alto Tâmega, que achamos estar bem representado juntamente com o Montalegre. Sabemos que vai ser um jogo extremamente complicado, temos alguma experiência de ter eliminado uma equipa do CP já esta época, mas será um jogo difícil. Estamos em momentos diferentes da época e teremos dificuldades diferentes. O Fafe está a realizar uma prova muita satisfatória no CP, é um dos sérios candidatos à subida. Vamos fazer de tudo para trazer um resultado positivo, a passagem à 4ª eliminatória.

A equipa tem vivido uma fase intermitente de competição com o adiamento de jogos…
Só quem está a competir, quem está com ansiedade de competir é que sabe a dificuldade que isto é. Mexe com o emocional dos jogadores, não obstante de adiar os jogos, é um problema que vem de desde março passado, são muito poucos jogos para o campeonato realizados. A forma de uma equipa só se obtém em competição. Não é fácil e é efetivamente o grande obstáculo que se põe, não só para o próximo domingo, frente a um adversário mais forte que nós, mas também para o campeonato. É uma dificuldade enormíssima que nos tem posto, visto termos feito três jogos em três meses.

Como caracteriza este plantel?
É um plantel com qualidade, embora muito curto, foi estruturado por via da saída de alguns dos nossos atletas nigerianos que compunham a equipa do ano passado, foram para melhores paragens felizmente e tivemos que nos apetrechar com outros elementos, oriundos da Argentina e Colômbia. É uma dificuldade que se nota, a escassez de atletas nacionais disponíveis. Estes meninos estão em adaptação ao clube e a uma realidade competitiva diferente. Estou extremamente satisfeito com os jogadores à disposição pois garantem qualidade e valor. Gostam muito de trabalhar e do treino, empenham-se em crescer.

3 perguntas a José Manuel Viage, treinador do Montalegre

A Voz de Chaves: Vamos ter um Montalegre à procura de eliminar uma equipa de um escalão superior?
José Manuel Viage: Estamos bem, a equipa está a atravessar um bom momento, com cinco vitórias consecutivas. Agora temos o Viseu, um jogo de Taça, jogamos com uma equipa que está num escalão superior, uma equipa que à partida é melhor do que nós, mas temos de ter a nossa ambição e vamos procurar fazer o nosso jogo. O favoritismo está do lado do Académico de Viseu, mas enquanto há vida há esperança. Sabendo que o Viseu pode ser melhor, terá que o provar no campo.

A sua equipa começou mal mas entrou numa fase muito positiva…
Já sabíamos que o começo ia ser difícil para todas as equipas derivado da longa paragem, mas o resultado menos condizente foi o jogo em casa com o Mirandela. Empatamos nas Pedras e podíamos ter ganho, mas não merecíamos perder com o Mirandela, onde tivemos alguma infelicidade. A partir daí a equipa, que tem qualidade, vem a ganhar os jogos, está uma equipa competitiva e focada, a nossa qualidade tem vindo a demonstrar isso dentro de campo, jogo a jogo. Temos de perceber que nada está ganho, estamos num bom momento mas temos um longo caminho pela frente onde temos de ser rigorosos, disciplinados, ter muita paixão pelo jogo, pensar que nada está feito. As vitórias moralizam a equipa e estamos bem mas percebemos que as cosias mudam muito rápido no futebol. Não se ganha nem se perde nada em dezembro, temos de ter uma equipa consistente e evoluir de jogo para jogo.

A Taça é uma competição que tem assentado bem ao Montalegre…
Temos vindo a crescer de ano para ano. Ano passado fizemos bom campeonato a jogar bem, reconhecido por todas as equipas. Este ano ainda não estamos onde queremos estar mas já praticamos um futebol muito positivo. Na Taça de Portugal estamos já na 3ª eliminatória temos equipa da II liga pela frente e por isso o favoritismo vai para o Viseu, mas é um jogo que vamos com todo o respeito com a ambição de passar. Se o Viseu for melhor paciência, mas queremos lutar pela eliminatória.

Diogo Caldas

loading...
Share.

Deixe Comentário