A secretária de Estado da Defesa Nacional esteve em Chaves na quarta-feira, dia 4, para explicar aos mais pequenos a importância das Forças Armadas na sociedade e as suas principais funções, no âmbito do Dia da Defesa Nacional.

 

No encontro, que reuniu cerca de meia centena de crianças e jovens, com idades entre os 12 e os 15 anos, no Museu da Região Flaviense, Ana Santos Pinto falou sobre o papel das Forças Armadas, nas suas três vertentes – Exército, Marinha e Força Áerea –, dando exemplos de missões onde os militares portugueses intervieram. As Forças Armadas têm a função de garantir a defesa do país, apoiar outros estados e povos, como é o caso da República Centro Africana e do Afeganistão, são também responsáveis por ações de busca e salvamento e no apoio a calamidades ambientais, como aconteceu recentemente em Moçambique.
“Há homens e mulheres que todos os dias estão a trabalhar, a treinar para que rapidamente possam estar disponíveis” para qualquer missão, “24 horas por dia, sete dias por semana, 365 dias por ano. Há uma disponibilidade completa e absoluta para o fazer e é por isso que os militares são especiais. Exige-se uma disponibilidade, exige-se uma diferenciação que muitas vezes implica abdicar de uma vida pessoal”, referiu a secretária de Estado da Defesa Nacional.
Este é um dia “de formação de cidadania individual e coletiva”, que permite aos cidadãos desenvolver melhor o seu papel na sociedade e ajuda a terem escolhas mais assertivas.
Daniel Pires foi um dos jovens que esteve no encontro e que teve a oportunidade de esclarecer algumas dúvidas. O flaviense confessou que seguir a área de programação é um dos seus objetivos e as Forças Armadas talvez sejam uma boa opção.
Este ano foram convocados para o Dia da Defesa Nacional mais de 140 mil jovens. Atualmente as Forças Armadas têm menos de 30 mil militares, um número que preocupa Ana Santos Pinto e que é preciso aumentar através da valorização da carreira e tornando-a mais competitiva.
Com o objetivo de aproximar as Forças Armadas à população, a Praça de Camões acolheu, no mesmo dia, uma demostração de meios do Exército, da Marinha e da Força Aérea.
O presidente da Câmara de Chaves, Nuno Vaz, explicou que Chaves foi uma das cidades escolhidas para assinalar o Dia da Defesa Nacional devido à relação de “proximidade e de entreajuda” com as Forças Armadas, nomeadamente com o Exército, através do Regimento de Infantaria nº19 (RI19).
“Quer os militares, quer as autarquias locais têm uma atitude de serviço. Nós só existimos porque existem cidadãos e porque temos a missão de os servir. Queremos que em Chaves se celebre esta relação e que se perceba que a presença militar foi muito importante em momentos significativos da nossa história – 8 de julho”, disse o autarca, destacando o papel atual das Forças Armadas no apoio às populações.
Durante a tarde de quarta-feira, uma centena de jovens, provenientes de Fafe, participaram em diversas atividades organizadas pelo RI19 a propósito do Dia da Defesa Nacional.

Cátia Portela

loading...
Share.

Deixe Comentário