Utentes da Misericórdia de Chaves e alunos da Escola Nadir Afonso reuniram-se no Lar Nossa Senhora da Misericórdia, numa ação intergeracional, dando continuidade à parceria desenvolvida entre as duas instituições, no âmbito da promoção de valores sociais e solidários.

Já não é a primeira vez que o contato entre as gerações idosas e as mais jovens é estabelecido, tendo como objetivo o alcance de benefícios mútuos. Em causa estão os desafios da intergeracionalidade e suas implicações no bem-estar das pessoas idosas e na promoção de valores solidários nos mais jovens.
O objetivo “é levar os meninos a contatar com realidades diferentes e pessoas diferentes. Colocar as crianças no lugar do outro e ao interagirem com pessoas com mais idade ou com limitações físicas, a intenção é que sejam mais tolerantes e mais respeitadores com os outros”, referiu Beatriz Martins, coordenadora da Escola Nadir Afonso.
A ação, integrada no projeto Escolas Solidárias da Fundação EDP, decorreu no âmbito da disciplina de Educação para a Cidadania.
António Cardoso, aluno da turma 6º G, da Escola Nadir Afonso, fez parte do grupo de cerca de 20 alunos que interpretaram algumas canções populares portuguesas, ao som da flauta, para os utentes daquela estrutura residencial para idosos, na passada sexta-feira. “É muito bom conhecer a nossa comunidade idosa, conhecer coisas de tempos mais antigos”, referiu.

Solidariedade intergeracional

A troca de experiências estendeu-se para além do âmbito musical. Luana Monteiro participou, juntamente com os idosos, no desfile de modelos que os utentes daquela instituição de solidariedade social protagonizaram. “Adorei fazer parte do desfile e ainda por cima com um estilo roqueiro”, frisou a aluna de 11 anos, entusiasmada.
“São miúdos que aderem facilmente a este tipo de iniciativas e que gostam e fazem questão de participar e interagir com as pessoas mais velhas, eles sentem-se orgulhosos em poder estar aqui”, frisou a professora de Educação Musical Conceição Capela.
Representando os idosos “uma memória coletiva”, a troca de experiências entre gerações é para a equipa de animação sociocultural da instituição, “um enriquecimento mútuo, sendo um meio de partilha de afetos e de valores que possibilita a minimização de preconceitos que possam existir para com a terceira idade”.
No final, as duas gerações partilharam um lanche convívio oferecido pela instituição.

Sandra Gonçalves

 

loading...
Share.

Comentarios fechados.