A Assembleia Municipal de Boticas aprovou por unanimidade na segunda-feira passada, dia 15 de abril, em sessão ordinária, o Relatório de Gestão e Contas relativo a 2018.

O relatório dá conta de que a Câmara de Boticas transitou de ano com um saldo orçamental de 1.829.084,22€. Este valor “é o reflexo do rigoroso controlo das despesas que o executivo camarário tem vindo a implementar no exercício das suas funções”, refere a Câmara de Boticas.

Por sua vez, o ano de 2018 resultou numa poupança corrente efetiva de 905.223,61€, valor que “expressa a capacidade da autarquia conseguir, através da receita corrente, financiar a estrutura necessária ao funcionamento dos serviços municipais”.

Quanto à dívida bancária de médio e longo prazo, em 2018 era de 539.603,17€, registando uma diminuição de 302.670,27€ em comparação com o ano anterior.

No que diz respeito à dívida a curto prazo registou-se, a 31 de dezembro do ano passado, o valor de 184.995,70€. Relativamente ao prazo médio de pagamento a fornecedores fixou-se em 17 dias. Além disso, a autarquia apresenta um índice de autonomia de 70%, o que demonstra que o recurso a crédito de terceiros é muito reduzido.No que concerne à execução orçamental são de realçar os indicadores obtidos com a boa taxa de execução das receitas correntes, que se situou no 96,20%, enquanto que as despesas correntes se fixaram em 80,01%, garantindo assim um bom grau de cumprimento das previsões.

Quanto às receitas correntes, a taxa de execução foi de 96,20%. Por outro lado, as despesas de capital tiveram um bom desempenho, com a taxa de execução a fixar-se nos 58,47%.

Relativamente à rubrica Passivos Financeiros tem nos últimos anos o valor de zero, o que comprova que não foi contraído qualquer empréstimo.

Por fim, as Grandes Opções do Plano (GOP) registaram uma taxa de execução a rondar os 65,31%, atingindo um valor total de 6.003.252,66€, dos quais 2.399.683,25€ dizem respeito ao Plano Plurianual de Investimentos e 3.603.569,41€ ao Plano de Atividades Municipal. O coeficiente de execução relativo aos dois planos foi de 53,30% e de 76,85%, respetivamente.

O presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, mostrou-se “bastante satisfeito pelo executivo ter conseguido gerir as contas do município de forma rigorosa e transparente”, destacando que “é este o motivo pelo qual continuamos com uma boa saúde financeira”.

O autarca referiu ainda que “nos mantemos dedicados ao desenvolvimento da nossa terra e em lutar pelo melhor para os nossos munícipes”.

loading...
Share.

Deixe Comentário