A produção de azeitona para azeite da região de Trás-os-Montes aumentou de cerca de 76 mil toneladas para perto das 94 mil em 20 anos, representando um crescimento de 23%.

Os dados são divulgados pelo Ministério da Agricultura que refere, em comunicado, que a região possui cerca de 77 mil hectares de olival, dos quais mais de 95% são destinados exclusivamente para a produção de azeite, concentrados essencialmente na região da Terra Quente Transmontana e Vale do Douro. Na campanha de 2018/2019, a região produziu cerca de 105 mil toneladas de azeitona, com a região de Trás-os-Montes a produzir o “Azeite de Trás-os-Montes DOP” (Denominação de Origem Protegida).
Segundo o ministério, esta região é responsável por 15% da produção nacional de azeitona para azeite, enquanto que o Alentejo representa 70%, segundo os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).
As previsões agrícolas do INE, em 31 de janeiro, apontam para uma produção historicamente elevada de azeitona para azeite, de mais de 940 mil toneladas, a maior desde 1941. Os rendimentos em azeite também deverão aumentar, conforme adianta a mesma fonte, o que permite antever um balanço muito positivo para esta campanha oleícola. Globalmente estima-se um aumento de 30% na produção de azeitona para azeite face à campanha de 2018.

 

 

loading...
Share.

Deixe Comentário