Terminado o arranque da “Batata de Semente” de Montalegre, estima-se uma produção de cerca de 64 toneladas, aguardando a visita da Direção Geral de Agricultura e Veterinária, a fim de garantir que esta produção esteja isenta de doenças.

Nuno Reis e Rui Duarte, da CopBarroso

Terminada a 5ª campanha da apanha da “Batata da Semente” de Montalegre, a produção deste ano ronda as 64 toneladas, que contou com a participação de 15 produtores e 22 campos inscritos, num total de 13 hectares .
Segundo referiu Nuno Reis, técnico responsável pela gestão deste projeto, sob a égide da CoopBarroso, “além da batata Kennebec, que é aquela que temos no mercado com mais valor, este ano também produzimos a Desirée e a Agria”.

A Batata da Semente já está armazenada, e, agora, “teremos de aguardar pelos resultados da Direção Regional e Direção Geral da Agricultura e Veterinária, garantir que a semente está isenta de doenças”, para, posteriormente,”procedermos à certificação dos lotes”, referiu Nuno Reis.

Sendo uma “batata de semente certificada”, a única a ser produzida em Portugal, há um conjunto de normas rígidas para a sua produção, que se impõem a nível nacional e também da União Europeia. Desde logo, a localização e a qualidade do terreno. Neste momento, referiu Nuno Reis, “já estamos a proceder à análise dos terrenos, para a próxima campanha, a fim de garantir que não estejam contaminados por qualquer doença”.

Ainda sobre adoença e as pragas que têm aparecido em várias regiões do país e na vizinha Galiza, tais como a “Epitrix similares” ou a “Traça da Guatemala”, o concelho de Montalegre não apresenta qualquer relato destas doenças. “Temos tido o cuidado de monitorizar estas situações, de forma a evitar estes males”. Segundo Nuno Reis, “é importante esta vigilância, não só para a produção da batata da semente e garantir a sua absoluta sanidade, como também da batata de consumo”.

A nível comercial, “este ano, há falta de batata, não só a de consumo, mas também a de semente, por isso terá uma boa valorização no mercado. Esperemos que tenha uma boa procura, porque, quanto maior for o valor da batata, maior retorno têm os nossos produtores”.

Produção da batata da semente é um complemento à exploração agrícola

“Não há produtores que se dediquem exclusivamente à produção da batata da semente, mas é um complemento à diversificada exploração agrícola”, referiu Rui Duarte, da CoopBarroso. A par da produção da batata da semente, os produtores têm um conjunto diversificado de atividades agrícolas e pecuárias, que, no seu conjunto, “acabam por se complementarem umas às outras” e, de certa forma, “são práticas amigas do ambiente”. A título de exemplo, a fertilização dos terrenos com o “estrume” dos animais, o que “torna muito residual a utilização de fertilizantes químicos”.

loading...
Share.

Deixe Comentário