“Construir a Segurança” no meio laboral foi o tema da sexta edição das Jornadas de Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho, que decorreram no auditório municipal na passada segunda-feira.

A sexta edição das Jornadas de Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho decorreu mais uma vez com boa adesão no auditório municipal de Chaves, na passada segunda-feira, 15 de Novembro. “Temos um vasto edifício legislativo, que muitas vezes não respeitamos, e se tivermos acções de sensibilização, talvez comecemos a adoptar práticas simples no sentido de diminuir a sinistralidade” no meio laboral, notou Paula Cabugueira, chefe de divisão de Recursos Humanos da autarquia flaviense.

De acordo com a responsável, voltou a ser cumprido o objectivo das jornadas, que é “prevenir os acidentes de trabalho e alertar para reduzir a sinistralidade tanto nas empresas, como na autarquia”. A debater ideias, esteve uma plateia diversificada: representantes de várias autarquias, como Montalegre, Ribeira de Pena, Vila Pouca de Aguiar e Viana do Castelo, trabalhadores do município, responsáveis de empresas da construção civil, arquitectos, alunos da Escola Secundária Fernão Magalhães, Escola Profissional de Chaves e Escola de Enfermagem, e ainda profissionais do Hospital e Centro de Saúde de Chaves.

Desde os meios de protecção a adoptar ao stress laboral e riscos psicossociais, “todos os painéis foram produtivos”, resumiu Paula Cabugueira. “A sinistralidade não escolhe hora nem local. Acontece se não houver meios de prevenção. Na construção civil ainda acontecem muitos acidentes de trabalho e é preciso sensibilizar as pessoas para usarem os equipamentos adequados e protegerem-se”, rematou a responsável, acrescentando que a troca de impressões voltará a acontecer já que tem tido “boa adesão”, “é útil” e “gratuita”.

As IV Jornadas de Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho, organizadas pela autarquia flaviense e Autoridade para as Condições de Trabalho, contaram com as intervenções de Luís Nascimento Lopes, coordenador executivo para a promoção da Segurança e Saúde no Trabalho, Manuela Calado, da Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho, bem como técnicos da autarquia, médicos do trabalho e psicólogos. Duas empresas instaladas em Chaves, a Vitro Chaves e o E. Leclerc, vieram ainda falar do seu contributo sobre boas práticas a adoptar no meio laboral.

Sandra Pereira – redaccao@diarioatual.com

loading...
Share.

Deixe Comentário