No passado domingo, os Juvenis do G D Chaves deslocaram-se ao campo da Ponte, em Braga, onde defrontaram a equipa local, perdendo por 2-1.

O Braga entrou mais forte no encontro e os primeiros 15 minutos foram jogados no meio campo do Chaves, mas sem que grande perigo ocorresse para a baliza de Rato.

A partir daí, o Chaves começou a jogar mais desinibido e foi com naturalidade que, à passagem do minuto 20, começou a encostar o Braga à sua área, tendo conseguido três cantos a seu favor.

Ao minuto 25, o Braga dispôs de um livre no meio campo do Chaves, um pouco descaído para a direita, livre esse muito bem batido. Rato bem se esticou, ainda tendo tocado na bola, mas não conseguiu evitar que esta entrasse na sua baliza. Estava feito o 1-0.

Reagiu muito bem a equipa flaviense e foi atrás do prejuízo, mas chegou o intervalo e o resultado era 1-0.

Na segunda parte, o Chaves entrou muito melhor e, logo aos 5 minutos, chegou ao golo da igualdade por Álvaro.

Com o resultado em 1-1, o Braga, como lhe competia, até porque jogava em casa, tentou carregar, mas os miúdos do Chaves deram muito boa réplica e quem se deslocou ao campo da Ponte para assistir ao jogo não deu o tempo por perdido, pois assistiu-se a um período de bom futebol com as duas equipas a jogarem o jogo pelo jogo, até que a 5 minutos do fim, o Braga numa jogada de contra-ataque muito rápida, conseguiu chegar ao golo sem que Rato nada pudesse fazer para o evitar, pois o avançado Bracarense apareceu sozinho, já dentro da área, e rematou muito forte e colocado.

O Chaves, reagiu de novo muito bem e poderia mesmo ter empatado, se o árbitro Pedro Vilaça quisesse, pois, nos últimos instantes da partida um defesa do Braga jogou a bola com o braço, dentro da grande – área, mas em vez de marcar a respectiva grande penalidade, foi muito mais fácil dar o jogo por terminado, mas são estes pequenos grandes pormenores, que dão pontos, e muitas vezes fazem a grande diferença e ditam os resultados.

Orlando Teixeira

loading...
Share.

Comentarios fechados.