O clube ainda não foi notificado, mas A Voz de Chaves sabe que a acção entrou no passado dia 18, cinco dias depois de ter sido avançada a primeira notícia. Acção em tribunal não é a única e mais duas terão sido apresentadas contra o clube.

Surgiu no passado dia 12 de Janeiro a notícia no Jornal Record que Sérgio Jorge, antigo jogador do Desportivo de Chaves emprestado ao clube pelo Vitória de Setúbal na época de 2002/2003, tinha feito um pedido de insolvência do Grupo Desportivo de Chaves por dívida não paga ao jogador.

O pedido de insolvência foi discutido em plena assembleia-geral, mas quer o Presidente da Mesa da Assembleia, quer o actual responsável da direcção do clube, Mário Carneiro, explicaram que até à data da assembleia extraordinária, ainda não tinha chegado à direcção do Chaves a confirmação desse pedido de insolvência. “É uma situação que não é de uma gravidade extrema, mas que é mais um problema que se cria. Não creio que seja uma situação de vida ou de morte, mas não facilita em nada”, atirou Pinto Barros, presidente da mesa da assembleia, sobre o suposto pedido de insolvência que caiu sobre o clube flaviense.

A o que a Voz de Chaves conseguiu apurar, o pedido de insolvência apresentado por Sérgio Manuel da Silva Jorge foi entregue apenas dia 18, ou seja, seis dias depois de a notícia ter sido divulgada. O pedido requerido é de insolvência de pessoa colectiva.

Mas este não foi o único processo a entrar recentemente em tribunal. Também no dia 18, terça-feira, dia da assembleia extraordinária, deu entrada uma queixa da EDP Serviço Universal, S. A., contra o Grupo Desportivo de Chaves.

Pelo que foi possível apurar também Ricardo Formosinho, o primeiro treinador do Chaves na época passada, terá apresentado queixa em tribunal por salários em atraso.

Diogo Caldas

loading...
Share.

Deixe Comentário