Entre os dias 6 e 12 deste mês a GNR intensificou a fiscalização da utilização indevida do telemóvel durante a condução.

A GNR explica, em comunicado, que a operação “Smartphone, smartdrive” teve como objetivo “contribuir para a diminuição do risco de ocorrência de acidentes e para a adoção de comportamentos mais seguros por parte dos condutores”, levada a cabo pelos militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito.

Neste contexto, os militares fiscalizaram cerca de 29 mil condutores e detetaram 9 947 contraordenações rodoviárias, sendo 646 pela utilização indevida do telemóvel durante a condução, 2 522 por excesso de velocidade, 603 por falta de inspeção periódica, 538 por anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização, 441 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança da cadeirinha de criança e 243 por falta de seguro.

No mesmo período foram ainda detetados 427 condutores com excesso de álcool, dos quais 191 foram detidos por condução com uma taxa de álcool superior a 1.2g/l e 51 por falta de carta de condução.

“A GNR relembra que a utilização incorreta e o manuseamento de telemóveis, tablets, ou dispositivos similares, para a realização de chamadas, envio de mensagens escritas ou consulta de redes sociais, durante a condução acarreta riscos associados, designadamente distração visual (tira os olhos da estrada), limitação motora (tira as mãos do volante) e condicionamento cognitivo (distração na condução)”, refere a força de segurança pública, acrescentando que é sua intenção “continuar a exercer uma fiscalização intensiva” com “especial preocupação com os comportamentos de risco dos condutores, sobretudo os que ponham em causa a sua segurança e a de terceiros”.

loading...
Share.

Deixe Comentário