Valpaços marcou o arranque da operação “Floresta Segura 2019” com uma parada na Praça do Município envolvendo as forças desta iniciativa. Uma ação que juntou autarquia, GNR, Associações Humanitárias dos Bombeiros Voluntários, de Valpaços e Carrazedo de Montenegro, ICNF, Serviço Municipal de Proteção Civil e Exército, através do RI 19.

A iniciativa tem como objetivo “reduzir o número de ocorrências, minimizar os riscos de incêndio florestal e georreferenciar terrenos com risco elevado de incêndio, alertando os proprietários para a necessidade da sua intervenção”, destaca a autarquia na sua página oficial.

O trabalho, nomeadamente as ações de sensibilização por todo o concelho, são realizadas em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIM-AT), da Proteção Civil do município, Juntas de Freguesia, oficiais de Segurança do Programa “Aldeia Segura”, Autoridade Nacional de Proteção Civil, Bombeiros, Exército, entre outros.

Na sessão realizada no salão nobre da autarquia, quarta-feira, dia 13, Borges Machado, 2.º Comandante Distrital de Operações de Socorro de Vila Real (CODIS), agradeceu o apoio da autarquia e referiu que “estamos a fazer uma campanha de alerta para que as queimas e queimadas, que têm que ser feitas, sejam previamente identificadas e programadas pelas entidades e se façam sem provocarem incêndios”.

O capitão Bruno Antunes, do Comando Territorial da GNR de Chaves, frisou que os agentes vão percorrer “todas as aldeias do concelho para identificar os terrenos que carecem de gestão e sensibilizar as pessoas para o enquadramento no que respeita ao uso do fogo. A informação não chega à população idosa do interior e a nossa missão é sensibilizar e informar”.

O coordenador da Prevenção Estrutural do ICNF, Eduardo Carvalho, mencionou que “temos que perceber que o uso de fogo, em condições adequadas, faz parte do ciclo produtivo desta região. A população está envelhecida e a queima é a forma mais barata para se fazer esse trabalho. Temos que continuar a sensibilizar as pessoas para que tenham comportamentos corretos. A função dos elementos das juntas de freguesia é muito importante porque estão em contacto com as populações e a articulação entre todas as entidades é muito importante para o sucesso da missão”.

Na ótica do presidente da Câmara de Valpaços, Amílcar Almeida, “a floresta é um bem valiosíssimo, que leva décadas a construir, por isso todos devemos fazer a nossa parte para o preservar”. O autarca agradeceu ao envolvimento de todos e adiantou que através Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega o número de pessoas a proceder aos trabalhos de limpeza das vias vai ser reforçado com 15 homens, que se juntam à equipa permanente do município, composta por 10 homens.

loading...
Share.

Deixe Comentário