O piloto flaviense Nuno Pinto conquistou pelo segundo ano consecutivo o Troféu Ibérico e foi vice-campeão no Nacional de Supermoto, provas que se realizaram no último fim de semana em Chaves.

A chuva intensa que caiu no domingo de manhã e durante o início da prova dificultou a vida aos pilotos que numa pista bastante escorregadia e com lama sofreram diversas quedas ao longo da corrida.
Nuno Pinto e Sérgio Rego, favoritos ao pódio, deram tudo por tudo ao longo das três mangas, numa competição que entusiasmou as várias pessoas a assistir, apesar do mau tempo.
No final da corrida, o piloto flaviense festejou a conquista de mais um Troféu Ibérico e de um segundo lugar no Campeonato Nacional de Supermoto. Nuno Pinto disse estar satisfeito com a sua prestação, numa época em que venceu também a Taça de Portugal, pela segunda vez.
“Falhou-me este campeonato. Sou vice-campeão, não foi mau. Em três campeonatos ganhei dois, por isso melhor não podia ter sido”, salientou o piloto de Chaves, lembrando ainda o Campeonato das Nações onde esteve a participar com condições meteorológicas muito semelhantes.
“Esta corrida até nem estava a correr mal. Em todas as mangas caí sempre na primeira volta, não tive hipóteses de recuperar, recuperei alguma coisa, mas não chegou”, sublinhou o flaviense.
Contente também com a sua participação ficou o piloto Sérgio Rego que conseguiu levar para Armamar o troféu de campeão nacional.
“Conseguimos o campeonato. Correu tudo bem, numa pista muito dura, com muita lama e com rivais sempre muito fortes. Conseguimos a vitória das três mangas, foi um fim de semana impecável”, referiu o piloto que começou o ano passado a competir “sempre aos tombos” e um ano depois chega a campeão nacional.
As provas do Campeonato de Portugal tiveram início em abril, em Almeirim, e terminaram no dia 13 de outubro, em Chaves, iniciativa que contou, pelo quarto ano, com a organização do Clube Motard de Chaves.
“Como flaviense estou orgulhoso. O Clube Motard de Chaves faz mesmo questão de que Chaves faça parte dos calendários nacionais, não só com a concentração, mas também no supermoto”, disse Filipe Carvalhal, presidente do Clube Motard adiantando que a cidade flaviense continuará também a figurar no Troféu Ibérico, coorganizado com a vizinha Espanha.
No aeródromo/kartódromo de Chaves correram ainda os pilotos das categorias mais jovens, de ambos os lados da fronteira.

Cátia Portela

loading...
Share.

Deixe Comentário