A Estrada Nacional 2, que liga Chaves a Faro, voltou a dar frutos. Desta vez, foi pretexto para a assinatura de um protocolo de geminação entre a União das Freguesias da Madalena e Samaiões e a União das Freguesias de Faro (Sé e São Pedro).

A assinatura do protocolo aconteceu no salão nobre dos Bombeiros Voluntários Flavienses na presença de cerca de seis dezenas de farenses que aproveitaram a ocasião para visitar a cidade flaviense.

O presidente da União das Freguesias da Madalena e Samaiões, João Pinto, conta que o desafio foi lançado pelo presidente da União das Freguesias de Faro, Bruno Lage, com o propósito de promover sinergias entre as duas freguesias, com a chancela da Estrada Nacional 2 (EN2)

Através deste protocolo de geminação prevê-se a criação de atividades nas áreas sociais, económicas, desportivas e culturais, bem como a promoção e valorização da mítica N2. João Pinto pretende ainda colocar em evidência a gastronomia local.

De acordo com o responsável será criada uma caderneta para os “viajantes da Estrada Nacional 2” carimbarem nos diferentes estabelecimentos comerciais e restaurantes presentes na freguesia da Madalena e Samaiões.

A ideia passa por tentar “desenvolver e dinamizar economicamente o comércio tradicional. Quando falamos do centro histórico as pessoas associam sempre a Santa Maria Maior mas a Madalena também faz parte desse centro histórico, que é muito bonito, com muita oferta a nível turístico e gastronómico”, sublinhou.

“História, cultura, tradição e identidade”, estes são, para além do mar, as grandes potencialidades que a capital da região do Algarve tem para oferecer e que Bruno Lage pretende continuar a promover.

“Queremos dar a conhecer aos farenses e a todos os algarvios os produtos endógenos desta região, como é o caso do presunto de Chaves, como também queremos que conheçam os frutos da nossa Ria Formosa” que compõem o arroz de marisco ou o arroz de lingueirão algarvio, por exemplo.

Para o dirigente é preciso aproximar estas duas comunidades para que possa “haver uma maior coesão territorial”, com incremento a nível social e económico.
A EN2 é a estrada mais longa de Portugal, com 738,5 quilómetros.

“Esta estrada atravessa todo o país” dando a conhecer “o Portugal mais genuíno, o Portugal do interior. Se não me engano esta é a terceira maior estrada do mundo e, tal como acontece no estrangeiro [com a Rota 66], nós temos a obrigação de valorizar aquilo que é nosso, de mostrar a nossa identidade e de promover o turismo num território que está menos desenvolvido que é o interior”, referiu o algarvio cujo pai nasceu na cidade flaviense.

O marco com o quilómetro zero encontra-se em Chaves, na freguesia da Madalena, e é em Faro, na União das Freguesias da Sé e São Pedro que se encontra o marco final desta mítica travessia, que tem levado vários entusiastas em aventuras memoráveis, seja de carro, de jipe, de mota ou de bicicleta.

Presente na cerimónia, o presidente da Câmara de Chaves, Nuno Vaz, elogiou a iniciativa e o “sentimento de partilha” das duas uniões de freguesia que servirão, no seu entender, para a aproximação e valorização conjunta das potencialidades de Faro e de Chaves” nas diferentes áreas.

Para além da N2, Chaves e Faro têm agora uma árvore a uni-las, fruto desta geminação, e que foi plantada junto à sede da União das Freguesias da Madalena e Samaiões.

Cátia Portela

loading...
Share.

Deixe Comentário