A Câmara de Vila Pouca de Aguiar anunciou um investimento de 1,5 milhões de euros no turismo de natureza, onde se destaca a requalificação das margens do rio Avelames, que atravessa a vila de Pedras Salgadas.

O município de Vila Pouca de Aguiar anunciou verbas superiores a 1,5 milhões de euros para investir em projectos de Turismo de Natureza nas malhas urbanas de Pedras Salgadas e Vila Pouca de Aguiar. Os projectos com financiamento garantido, através do programa “ON.2 – O Novo Norte” e da Câmara Municipal, são a requalificação das Margens do Rio Avelames (1.111.852€) e a requalificação do Parque Florestal e Mata da Carvalhada (393.650€).

Ambas as obras, que visam reforçar a valorização ambiental e captar mais turismo de natureza no concelho, já estão em fase de lançamento de concurso público para dar início aos trabalhos. Para o presidente da autarquia, Domingos Dias, os novos investimentos “vão permitir devolver à comunidade alguns espaços que merecem ser valorizados e que vão contribuir para uma dinâmica social e económica do tecido social de Pedras Salgadas e Vila Pouca de Aguiar”.

Nas margens do Rio Avelames vão ser criadas novas áreas de lazer para reforçar a ligação deste lugar à malha urbana de Pedras Salgadas. O equipamento desportivo será recuperado, será criado ao longo das margens uma parte do percurso da ecopista/ciclovia e recuperado o largo situado na entrada norte do parque.

Já no Parque Florestal e Mata da Carvalhada, a vertente florestal será reforçada e serão criadas áreas de recreio e lazer, promovendo a actividade física e o contacto com a natureza. Os referidos projectos complementam-se através de uma ligação entre os dois espaços naturais localizados na encosta nascente de Vila Pouca de Aguiar.

Além destes projectos de Turismo de Natureza, outros investimentos associados à ecologia já estão em curso, como a rede de albergues de natureza e a rede de percursos de interpretação ambiental no território concelhio.

Redacção

loading...
Share.

1 comentário

  1. Excelente projecto. O investimento no turismo de natureza foi ignorado durante décadas no Concelho de Vila Pouca. Todas as atenções estiveram sempre voltadas para o turismo termal e sempre com os mesmos protagonistas. No entanto é o último parágrafo do artigo que desperta mais a atenção. Este concelho é composto de uma fauna e flora riquissimas, com povoados particularmente genuínos. Mostrar o mais profundo do Portugal rural pode constituir uma mais valia para a criação e desenvolvimento de dinâmicas e interacção humanas geradoras de riqueza e bem-estar.
    Um bom seguimento a outros projectos locais que têm valorizado este concelho. Apenas continuar e talvez prestar um pouco mais de atenção às belezas naturais que vão para além das 2 vilas.

Deixe Comentário