A capital do Barroso festejou a rigor o Dia de Reis com vários momentos de confraternização.

O grupo da Delegação da Cruz Vermelha dirigiu-se à Câmara de Montalegre e, bem afinados, entoaram cânticos desta época. Orlando Alves, presidente da autarquia, assistiu ao espetáculo e no final felicitou o grupo por manter viva a tradição.

Em Covelães, os habitantes da aldeia reuniram-se num jantar convívio, onde não faltou a presença dos vários conterrâneos que nesta altura do ano visitam os seus familiares. A ementa foi composta pelo tradicional prato de javali e as sobremesas típicas desta época.

Também em Salto, o “Cantar dos Reis” fez-se ouvir na Casa do Capitão, polo do Ecomuseu de Barroso. A iniciativa contou com a participação de cinco grupos: a Associação Cultural, Recreativa e Estudantil de Pedras Salgadas – Vila Pouca de Aguiar; o Grupo de Cantares de Sapiãos – Boticas; o Grupo de Canto Coral da Universidade Sénior de Vieira do Minho; a Associação Zés Pereiras de Basto – Cabeceiras de Basto e o Coro Paroquial de Salto – Montalegre.

A igreja paroquial da Venda Nova foi o palco escolhido para acolher a quarta edição do “Encontro de Reis”. O evento contou com a atuação do Grupo Folclórico da Venda Nova – Montalegre, do Grupo de Cantares do Couto de Dornelas – Boticas, do Grupo de Danças e Cantares Regionais de Santo Estêvão – Chaves e da Associação Cultural e Festiva “Os Sino da Sé” – Braga, que interpretaram as tradicionais canções alusivas à festividade.

Segundo a organização, a iniciativa teve como objetivo “preservar a tradição dos “Cantares de Reis”, estimular a defesa deste importante património imaterial, na sua forma mais autêntica e genuína, reforçar a dinamização e participação e promover relações entre o povo”.

 

 

 

loading...
Share.

Deixe Comentário