A dar passos seguros ao longo dos anos e a colher frutos nas últimas épocas, os Amigos de Cerva são já uma referência no futsal do distrito. Esta época, são as ‘meninas’ do AC a brilharem no distrital e após uma reviravolta na final, alcançaram um título inédito. Sábado, às 16:00, jogam em Vila Flor frente ao Macedense na luta pela Taça Transmontana.

Após a derrota no primeiro jogo, em casa, na final, os Amigos de Cerva venceram no terreno do Alves Roçadas por duas vezes, a última por 4-0, com três golos de Catarina e um de Bárbara, que permitiu fazer a festa em Vila Real.
Para a capitã da equipa, Liliana, “ser campeã é um sentimento de grande felicidade e um orgulho inexplicável. Alcançar este título distrital foi uma conquista muito importante para nós e para o nosso clube”, destacando a “sensação de objetivo alcançado, é muito bom ver o nosso trabalho e o nosso esforço ser reconhecido”.
Desde 2008 na equipa, Liliana tem acompanhado toda a evolução do clube: “nos últimos anos começamos a ter uma equipa mais consistente e mais completa”. A liderar o grupo, a capitã confessa ainda a ‘família’ criada dentro do balneário. “Temos uma excelente relação, a união e o espírito de equipa refletem-se dentro de campo e contribuímos de corpo e alma para que os resultados esperados sejam alcançados”, apontou.
Desde o início da criação da equipa feminina, Patrícia Oliveira, conhecida como Nhanha, também não ficou indiferente à conquista após “estes anos todos”. “É muito gratificante poder festejar este título com esta equipa”, vincou.
Para a sub-capitã, “o clube tem crescido de ano para ano, derivado da dedicação do nosso treinador que nos tem ajudado a trabalhar muito. E por nós também que de ano para ano temos vontade de ir mais além”. O título dá acesso à presença inédita na Taça Nacional, e Nhanha garante que a equipa irá marcar presença com ambição: “temos que ir preparadas para tudo.
Não conhecemos as adversárias mas espero que tenhamos um bom resultado”.
A conquista inédita foi especial para jogadoras, treinador mas todo o staff. Sara Teixeira, diretora da equipa, realçou que sempre acreditou numa vitória destas. “Sempre achei que a nossa equipa tinha tudo para chegar até aqui e chegou”, atirou.

“Esta equipa tem crescido dia após dia, e isso tem se notado graças ao esforço que as jogadoras fazem sem esquecer e com a mesma importância o treinador o Sr. Arlindo que tem feito um trabalho fantástico e sim podemos ver os frutos e tivemos a prova disso no sábado a noite que até chamaria para nós ‘noite de glória’”, sublinhou Sara Teixeira. A diretora da equipa destacou ainda o grupo não muito grande de jogadoras mas que soube fazer das fraquezas forças: “Como costumo dizer poucas mas boas. Todas são excelentes em constante crescimento e com uma garra incrível. Parabéns a elas. Obrigada equipa”.

“É muito bom ser campeão”

A Voz de Chaves: Reviravolta na eliminatória e título inédito conquistado…
Arlindo Borges: Quando ganhei o jogo em Vila Real, pensei que podia ficar mais favorável para nós, pois a pressão ficou do lado do Alves Roçadas e no terceiro jogo conseguimos ganhar. Estávamos bem preparados para o sonho de sermos campeões. Não tínhamos nada a perder e apenas aproveitar o momento e foi o que aconteceu. Fizemos um excelente jogo, surpreendemos o adversário, fizemos o 2-0 na primeira parte. O Alves Roçadas teve uma reação muito digna, sofremos mas com muita garra e querer conseguimos evitar o golo do adversário e depois na reta final voltamos a subir de produção e ganhámos com toda a justiça. Fomos de longe a melhor equipa do Play-off. Parabéns ao Alves Roçadas, mas uma enorme palavra para as jogadoras, são enormes, ao presidente, que está sempre presente, a toda a direção e adeptos que nos acompanham, aos familiares das jogadoras, a toda a gente de Cerva. É muito bom ser campeão.
Alguma vez imaginou este título?
No arranque nem pensar, éramos uma equipa para divertir e competir. O trabalho nos últimos anos, nos últimos três anos tem sido fantásticos, mesmo perdendo jogadoras que eram importantes. Temos conseguido recrutar jovens que estão a aparecer. Há uns anos atrás quando não tínhamos estes resultados dizia que ainda ia ser campeão. Depois conquistamos a taça e disse, esta já cá está, e agora conseguimos o título [risos]. A minha paixão pela modalidade foi sempre muita e comecei a somar. Fomos subindo de patamar a patamar.
O título dá acesso pela primeira vez à Taça Nacional?
Temos de estar preparados mas sabemos que vai ser muito difícil. É uma realidade diferente, já comecei a dizer ao pessoal que fizemos história mas temos de ter os pés bem assentes no chão. Vamos para lá e não vamos derrotadas. Ainda não sabemos que equipas vamos defrontar, mas será certamente difícil contra equipas do Porto, Braga ou Aveiro.
Antes vão lutar pela primeira Taça Transmontana…
É uma novidade para nós, mas vamos defrontar um adversário do nosso valor, vamos procurar fazer tudo para conquistar mais um troféu. Estamos numa fase boa, talvez numa fase de euforia, mas vamos trabalhar para lutar pelo título. Uma coisa é certa, vamos dar tudo com a nossa garra e querer. Não há limites para nada. Também já estamos apuradas para a ‘final four’ da taça e por isso vamos ter mais um título para lutar.

Diogo Caldas

loading...
Share.

Deixe Comentário