A etapa mundial de wrestling de praia em Chaves, a 29 e 30 de março, irá trazer a Trás-os-Montes perto de três centenas de participantes de diversos pontos do mundo, para a prova a cargo da Associação Portuguesa O Samurai e da Federação Portuguesa de Lutas Amadoras (FPLA), com o apoio do município de Chaves.

O campo de futebol de praia flaviense irá ser palco de mais uma modalidade de praia, acolhendo mesmo a estreia do circuito mundial da modalidade tutelada pela United World Wrestling.

“Esta etapa em Chaves terá uma grande relevância pois será uma das duas provas [a outra será no Brasil]que permitirá a qualificação para o World Beach Games, que se irá realizar nos Estados Unidos este ano, e onde estará em estreia o wrestling de praia”, destacou Pedro Silva, presidente da FPLA.

O dirigente da FPLA adiantou ainda que este ano será implementado o formato de circuito mundial na modalidade tutelada pela United World Wrestling.

Com as inscrições ainda a decorrerem, Pedro Silva garantiu que o evento irá envolver perto de três centenas de participantes de diversos países, estando já assegurada a presença de atletas do Japão e Irão, entre outros.

Além de uma aposta da FPLA, Pedro Silva explicou que o wrestling de praia é também uma aposta internacional devido à “simplicidade” e capacidade de atrair pessoas, pela sua “fácil compreensão”, esperando que a etapa em Portugal permita o apuramento de “mais atletas” para o World Beach Games.

O que é a modalidade Wrestling de praia?

Num espaço com sete metros de diâmetro, rodeado por uma corda, o primeiro a somar três pontos na luta corpo a corpo ganha o combate.

Como se pontua: Se o lutador projetar o oponente ao chão de costas, ganha imediatamente. Caso o adversário pisar fora do circulo, o lutador ganha um ponto. Se o adversário tocar no chão sem ser com os pés e as mãos, o lutador ganha um ponto.

Pedro Silva, presidente da FPLA: “Chaves faz todo o sentido. Não tem praias mas tem infra-estruturas, e tem a implantação dos estilos de luta tradicionais. A Luta da Galhofa [luta tradicional da região de Trás-os-Montes]não é muito diferente que a luta de praia. Estamos em trabalho juntamente com os parceiros locais para dotar o espaço com tudo que é necessário”.

Vítor Gomes, presidente da Associação Portuguesa O Samurai: “É uma conquista enorme e um privilégio ter uma prova de nível mundial na nossa cidade. O ano passado procuramos organizar uma etapa nacional e agora surgiu esta oportunidade. São precisos apoios, pois é uma prova que ainda engloba muitas despesas”.

Francisco Melo, vice-presidente do Câmara Municipal de Chaves: “Temos boa hotelaria, boa restauração, e bons locais para a prática de atividades físicas ao ar livre. As organizações podem sempre contar com equipamentos urbanos para a realização de eventos e é um orgulho ter gente de vários cantos do mundo, nesta modalidade interessante ao ar livre”.

Diogo Caldas

loading...
Share.

Deixe Comentário