Sem pressão… é assim que Carlos Padrão vê a visita do Chaves ao Benfica na segunda-feira, às 21:15. Apesar do momento, o antigo guarda-redes, que até sabe o que é pontuar na luz pelos transmontanos, lembra que a obrigação está do lado dos encarnados.

“O Chaves tem de explorar o excesso de confiança que o Benfica possa ter e o cansaço, e procurar explorar as transições para fazer mossa”, analisou.

O antigo guarda-redes dos flavienses, entre 1985 e 1989, lembra que após os recentes resultados caseiros dos lisboetas [os 10-0 ao Nacional, os 5-1 ao Boavista ou 6-2 ao Braga], um empate ou vitória do Chaves será “uma grande surpresa”, e uma derrota pela margem mínima uma “vitória moral”.

Como estratégia, Carlos Padrão vê o reforço do meio-campo, o explorar das transições e o procurar de obrigar o Benfica a correr atrás da bola como uma forma de incomodar o adversário.

Em duas temporadas consecutivas, 1986/87 e 1987/88, os flavienses, com Padrão na baliza, arrancaram dois empates na Luz, mas o guardião lembra “jogos muito difíceis e disputados”, numa época onde o Chaves jogava um futebol “atraente”.

“Naquela altura jogávamos no campo todo, a estratégia passava por ter um meio-campo reforçado, e éramos respeitados pela forma como jogávamos fora, já para não falar em casa”, recordou.

Carlos Padrão fez parte da geração ‘de ouro’ flaviense que alcançou o apuramento inédito para a Taça UEFA, na época 1986/87.

“Chaves reforçou-se bem”

O antigo guarda-redes vê um Chaves muito mais capaz após a ida ao mercado, para atacar a manutenção, lembrando ainda que é preciso evitar “entrar em pânico” pois há muitos pontos em disputa.

 

“Se este plantel tivesse começado o campeonato, estaria tranquilamente no meio da tabela”, vincou, lembrando que agora “todos os jogos são finais”.

Com 36 pontos em discussão, Padrão vê a necessidade do Chaves somar 16 pontos para se manter, algo ao alcance. Pedindo calma, o antigo guarda-redes lembra que os imprevistos podem acontecer e “não são fatais”.

“O empate em casa com o Boavista não estava nas previsões mas não significa o fim. Se o Chaves venceu os próximos dois jogos consecutivos que tem em casa poderá saltar na tabela”, adiantou.

Jefferson de volta ao meio-campo

O médio defensivo Jefferson é a principal novidade para a visita do Chaves ao Benfica, pois cumpriu castigo e volta a ser opção para Tiago Fernandes.

Os flavienses trabalharam esta semana em Vila Pouca de Aguiar, e o técnico teve todo o grupo de trabalho à disposição, à exceção do médio João Teixeira.

O português de 25 anos, contratado ao Benfica no início da temporada, continua a recuperar de uma lesão muscular.

Diogo Caldas

 

loading...
Share.

Deixe Comentário