O flaviense João Silva alcançou o 8º lugar no Campeonato do Mundo de Masters de Fisiculturimo, que decorreu entre 7 e 9 de dezembro em Tarragona, Espanha. Satisfeito com o resultado, culturista transmontano já pensa numa medalha em 2020.

“A prova correu exatamente como eu queria e planei, pois em relação ao campeonato do mundo do ano passado sinto-me muito satisfeito, mesmo tendo descido um lugar, pois não houve falhas nem erros ou percalços que não me permitissem apresentar o corpo que queria”, explicou o atleta de 44 anos.

João Silva realçou que o resultado alcançado na categoria entre 80 e 90 kg, numa prova “com um nível competitivo fabuloso”, representou mais do que no ano anterior.

“Recebi elogios da federação portuguesa e espanhola que no ano passado não recebi. Deram-me os parabéns pelo físico muito redondo, trabalhado e musculado”, explicou.

Em prova com cerca de 84 kg, os adversários de países como Turquia, Polónia, República Checa, Alemanha e Espanha, além do vencedor, Mohamed Hasan do Bahrain, rondavam os 90 kg.

“Eles começaram a fazer a carga de hidratos de carbono mais cedo, e optaram pela jogada do aspeto mais volumoso e eu fiz ao contrário, competindo com um aspeto mais condicionado, com as fibras musculares mais secas”, analisou João Silva.

Foco está numa medalha em 2020

Satisfeito por mais “uma experiência”, o flaviense quer voltar a competir com um peso já mais próximo dos 90 kg, o que irá levar a uma preparação de ganho de massa muscular, para atingir o peso necessário.

De resto, objetivo é treinar para o mundial de 2020, de forma a lutar por uma medalha, com uma preparação que irá começar já em 2019, onde tem outros projetos pessoais e profissionais em mente.

“Tenho vários projetos em mente, pois vou focar-me num conjunto de atletas com quem trabalhamos e vamos promover, e haverá ainda uma ligação oficial a uma marca de renome, com quem vou trabalhar”, contou.

A carreira já vasta nesta modalidade deixa João Silva “muito orgulhoso”, assim como todo o apoio que recebe em cada prova.

“O acompanhamento por parte dos flavienses, e não só, é muito bonito de ver. Sentir o carinho dos nossos é muito bom”, confessou, lembrando que enquanto flaviense se orgulha das conquistas pessoais já alcançadas. E promete não ficar por aqui.

Diogo Caldas

loading...
Share.

Deixe Comentário